Publicidade

Banco Central é parceiro do governo, diz Campos Neto

Presidente do BC participou de audiência pública na Câmara dos Deputados

Banco Central é parceiro do governo, diz Campos Neto
Presidente do Banco Central fala ao microfone em audiência pública na Câmara (Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados)
Publicidade

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou nesta 4ª feira (27.set) que a entidade é parceira do Governo Federal. A declaração foi dada durante participação em audiência pública da Comissão de Finanças e Tributação, da Câmara dos Deputados.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

"A gente tem tentado trabalhar para melhorar a situação do governo. O Banco Central é parceiro", pontou. Ainda de acordo com ele, o BC "é parte de um todo". "A gente tem que trabalhar em conjunto. O Banco Central não é oposição. Ele não nem um partido nem outro partido, é um órgão técnico, e a gente quer trabalhar para melhorar a situação Brasil e dos brasileiros".

Também na audiência, Campos Neto defendeu a taxação dos super-ricos: "Sobre a arrecadação dos super-ricos, sou a favor. Sou a favor de arrecadação do fundo exclusivo, sou a favor da arrecadação do offshore. Aliás, diga-se de passagem, no governo anterior tinha um projeto de offshore que a gente quis fazer e acho que o relator era o deputado Celso Sabino, que a gente queria fazer a taxação das offshores, e eu achava que a alíquota para a taxação precisava ser mais alta".

Além disso, ele afirmou ser importante o Governo Federal persistir na meta fiscal. "Aqui [num gráfico] a gente vê uma diferença entre as bolinhas vermelhas e as barrinhas laranjas, que é entre a meta do governo e o que o mercado acha que o governo vai fazer de fiscal. Eu acho que de certa forma isso mostra que hoje o importante é persistir na meta, é o que a gente tem dito, o que foi delineado na comunicação oficial, e a razão pela qual existe um questionamento é porque você precisa de receitas adicionais bastante grandes para cumprir esse número", disse.

"Mas eu acho que é importante aqui, apesar de todo mundo entender a dificuldade de atingir a meta e de ser muito difícil cortar gastos, não só agora nesse governo, mas estruturalmente tem sido difícil cortar gastos, é importante persistir. Então aqui a nossa mensagem é de persistência".

Ele prosseguiu: "Acho que está bem alinhado com que o ministro [Fernando] Haddad tem dito, a gente acha que esse é um caminho bem promissor, e mesmo que a meta não seja cumprida exatamente, eu acho que o que os agentes econômicos vão ver é qual foi o esforço que teve na direção de cumprir a meta".

Juros

Outro tema abordado por Campos Neto na audiência foram os juros no Brasil. "O gráfico da direita, o que ele diz? Qual é o juros real do Brasil ex-ante, e a diferença entre o Brasil e a média de outros países. Então entre 2014 e 2019, o Brasil era 3,6% acima da média. Entre 2021 e 2023, era 2,9%. Quando a gente olha o último dado na ponta em agosto de 2023, a taxa de juros real do Brasil comparado com um grupo países semelhantes está 1,4%. Então a taxa de juros real do Brasil é alta? Sim. É uma das mais altas do mundo? Sim. Mas essa diferença tem diminuído".

Segundo ele, "é importante a gente entender que esse é um processo que já vem de algum tempo". "E se a gente conseguir, vamos dizer assim, concretizar esse processo de reformas, a gente tem tudo para trabalhar com o juros real mais baixo e com um crescimento estrutural mais alto".

Posteriormente, Campos Neto ressaltou que, na eleição de 2022, "o Banco Central fez a maior subida de juros da história do Brasil e da história do mundo emergente, mostrando a atuação de forma independente, autônoma". "E graças a essa subida de juros a gente consegue ter uma inflação muito mais estável, com uma situação em que a gente consiga cair os juros na frente de outros países, e com um custo para a sociedade do processo desinflacionário mais baixo".

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
economia
congresso
roberto campos neto
audiência pública
presidente
banco central
governo
meta fiscal
juros
parceiro
taxação
super ricos
noticias
guilherme-resck

Últimas notícias

Moraes descarta adiamento das eleições municipais no Rio Grande do Sul

Moraes descarta adiamento das eleições municipais no Rio Grande do Sul

O presidente do TSE afirmou, na sessão plenária desta terça (21), que não houve qualquer dano estrutural que impeça o pleito na data prevista
Quase metade das empresas do setor calçadista foi afetada pelas enchentes no RS

Quase metade das empresas do setor calçadista foi afetada pelas enchentes no RS

Estado é o segundo maior fabricante de calçados do Brasil, perdendo apenas para o Ceará
Nível da Lagoa dos Patos aumenta e Rio Grande (RS) tem 7 zonas em alerta

Nível da Lagoa dos Patos aumenta e Rio Grande (RS) tem 7 zonas em alerta

Atualmente, mais de 600 pessoas estão desabrigadas no município
Tragédia do Rio Grande do Sul mobiliza recursos para saúde

Tragédia do Rio Grande do Sul mobiliza recursos para saúde

Mais de R$ 1,5 bilhão em recursos já foram destinados à área desde início das chuvas
Engenheiros alertaram sobre deficiências em casas de bombas de Porto Alegre em 2018 e 2023

Engenheiros alertaram sobre deficiências em casas de bombas de Porto Alegre em 2018 e 2023

Ano passado, após o Guaíba ultrapassar a cota de inundação de 3 metros, técnicos alertaram sobre a "necessidade urgente de resolução dos problemas nas estações"
Processos da Lava Jato contra Marcelo Odebrecht são anulados por Toffoli

Processos da Lava Jato contra Marcelo Odebrecht são anulados por Toffoli

Ministro do STF diz ter ocorrido "conluio processual" do ex-juiz Moro e de procuradores da República da força-tarefa da Lava Jato
Mourão critica políticos por “exploração” da calamidade após chuvas no RS

Mourão critica políticos por “exploração” da calamidade após chuvas no RS

Para senador, tanto aliados quanto nomes da esquerda têm feito “filminhos” para beneficiar projetos políticos
Desembargadora que atacou Marielle Franco nas redes sociais é afastada pelo CNJ

Desembargadora que atacou Marielle Franco nas redes sociais é afastada pelo CNJ

Magistrada é acusada de disseminar informações falsas ao afirmar que a vereadora estava “engajada com bandidos” e foi eleita com a ajuda do Comando Vermelho
Governo faz proposta de aumento médio de 28% em quatro anos para técnicos em educação

Governo faz proposta de aumento médio de 28% em quatro anos para técnicos em educação

Entre pontos principais da solução apresentada, estão parcelas de reajuste de 9% em janeiro de 2025 e 5% em abril de 2026
Governo precisa confirmar fonte de receita para incluir municípios na reoneração, diz líder

Governo precisa confirmar fonte de receita para incluir municípios na reoneração, diz líder

Segundo relator, líder Jaques Wagner, proposta deve ser atualizada e votação sai na próxima semana
Publicidade
Publicidade