Publicidade

O que é "locavorismo" e por que pode ser a solução para a fome no mundo

ONU-FAO defende o conceito de produção agropecuária em entrevista exclusiva ao Foco ESG

O que é "locavorismo" e por que pode ser a solução para a fome no mundo
Publicidade

O consumo de alimentos produzidos perto de você, no seu bairro, cidade ou região, pode ser uma das mais eficientes soluções para a principal preocupação da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (ONU-FAO). É que o mundo terá quase 10 bilhões de pessoas até 2050. O problema está no fato da população crescer mais rápido do que a capacidade de produção de alimentos.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

O agronegócio se empenha em aumentar a produtividade dos campos e lavouras. Seja com modiificações genéticas dos animais e plantas ou evoluções no manejo, que incluem -- ou excluem -- defensivos químicos e biológicos. O avanço, no Brasil, foi de 400% desde 1975. Mas, agora existe outro complicador: o aquecimento global. Bastante causado pelo desmatamento. Infelizmente, em boa parte, ligado ao agro.

A relação é insustentável por causa da influência que as florestas tem sobre o sistema de chuvas. A Amazônia, por exemplo, já perdeu 20% da vegetação. "Aos 25% chega ao ponto de não-retorno", diz o pesquisador-sênior da Universidade de São Paulo (USP), Carlos Nobre. O ponto de não-retorno é quando não há mais o que fazer. Daí em diante, a mata se desertifica, deixa de evaporar umidade e gerar chuva.

É uma corrida contra o tempo, considera o representante da ONU-FAO. Antes que esse grande problema aconteça, muito mais adaptações seriam necessárias na agropecuária. Mas, não no modo como tem sido feito e, sim, o contrário. Talvez esse seja o principal desafio. Convencer o agro e os governos de que precisamos de menos insumos, mais naturalidade, menos concentração de poder e mais locais de produção.

"Quando se produz alimento perto do local de consumo, se tem menos desperdício durante o transporte, se usa menos combustível e ainda se incentiva produtores menores, a agricultura familiar", analisa Gustavo. A agricultura familiar produz 70% do alimento que chega à mesa do brasileiro. Ainda assim, esse subsetor agro diminuiu, de acordo com um senso do IBGE. De 2006 a 2017 a diferença foi de 9,5% a menos.

O motivo pode ser o fato desses produtores rurais terem menos retorno financeiro sobre os negócios. Plantam frutas e verduras. Não lidam com commodities. Ao mesmo tempo, durante os últimos quatro anos, viram incentivos diminuírem em valor disponível para empréstimo e em descontos nos impostos. Antes, pagavam taxas em torno de 3,5%. Atualmente, são reféns da Selic a 13,75%. Já as commodities tiveram aumentos.

O incentivo à produção e consumo de alimentos locais também ganha peso quando se analisa fatos recentes, como a pandemia de Covid-19 e a guerra instalada pela Rússia na Ucrânia. Situações que dificultam a logística global, tanto para distribuir os alimentos como os insumos para produzí-los. Não é à toa que o número de pessoas com fome no mundo aumentou, de 2021 para 2022, de 811 milhões para 828 milhões.

Confira a entrevista completa no videocast Foco ESG:

Veja também:

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
foco esg
fao
onu
insegurança alimentar
produção
agro
rural
alimento
comida
fome
pandemia
guerra
pablo valler
podcast
foco-esg

Últimas notícias

Governo propõe aumento de R$ 90 no salário mínimo e déficit zero em 2025

Governo propõe aumento de R$ 90 no salário mínimo e déficit zero em 2025

Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2025 foi apresentado nesta segunda-feira (15)
Adolescente de 17 anos é estuprada pelo cunhado no interior de SP

Adolescente de 17 anos é estuprada pelo cunhado no interior de SP

Vítima estava na casa da irmã e cuidava dos sobrinho quando sofreu a violência, neste final de semana
Poder Expresso: Irã ataca Israel, conflito pode ter reflexos econômicos no Brasil

Poder Expresso: Irã ataca Israel, conflito pode ter reflexos econômicos no Brasil

A edição desta segunda-feira (15) analisa como a escalada do confronto no Oriente Médio pode atingir brasileiros
Por que existem gêmeos siameses? Entenda

Por que existem gêmeos siameses? Entenda

As causas dessa anomalia rara ainda não são bem explicadas pela ciência, mas a descoberta pode vir durante a gestação
Conflito entre Irã e Israel pode impactar preço do petróleo no Brasil

Conflito entre Irã e Israel pode impactar preço do petróleo no Brasil

Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira afirmou que criou grupo de trabalho para acompanhar possível acirramento do conflito e suas consequências
Detran-RJ volta a cobrar pagamento de Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo digital

Detran-RJ volta a cobrar pagamento de Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo digital

Após determinação judicial, os motoristas vão precisar quitar taxas de 2023 e 2024 no valor de R$ 76,77 por ano
NAB Show: Saiba quem é 'Ameca', robô humanóide movido por IA que interagiu com o público em Las Vegas

NAB Show: Saiba quem é 'Ameca', robô humanóide movido por IA que interagiu com o público em Las Vegas

Descrito como o “robô humanoide mais avançado do mundo” participou de painel na maior feira de tecnologia do mundo voltada para televisão
Entidade internacional critica PEC das Drogas e recomenda rejeição

Entidade internacional critica PEC das Drogas e recomenda rejeição

A Human Rights Watch defendeu em nota que Brasil deveria adotar estratégias de saúde pública em vez de criminalizar o consumo
Fórum de Segurança Pública manifesta apoio à decisão de Lula sobre lei das saidinhas

Fórum de Segurança Pública manifesta apoio à decisão de Lula sobre lei das saidinhas

Instituição considera que fim do benefício aos detentos pode gerar retaliações de difícil controle para governos estaduais
Governo prevê aumento de 6,37% no salário mínimo de 2025

Governo prevê aumento de 6,37% no salário mínimo de 2025

Seguindo política de valorização terminada por Lula, reajuste elevará valor a R$ 1.502; a proposta ainda pode sofrer alterações até janeiro de 2025
Publicidade
Publicidade