Publicidade

Marco fiscal sem exceção para Fundeb e Ciência e Tecnologia, defende relator

Deputado Cláudio Cajado (PP/BA) afirma que parecer está pronto desde antes do recesso

Marco fiscal sem exceção para Fundeb e Ciência e Tecnologia, defende relator
Publicidade

O deputado Cláudio Cajado (PP-BA), relator do arcabouço fiscal na Câmara dos Deputados, disse ao SBT News nesta 2ª feira (31.jul) que o parecer sobre o texto que prevê novas regras para o controle de gastos públicos está pronto e a data de votação depende da definição do conjunto de líderes partidários. Uma reunião deve ocorrer nesta 3ª (1.jul). Cajado não divulgou detalhes do relatório que, em primeira mão, será apresentado aos pares, mas adiantou que vai defender mudanças no texto aprovado pelo Senado no final de junho.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News 

"A matéria agora está simples, porque nós vamos dizer sim ou não as alterações feitas pelo Senado e o meu parecer sobre cada um dos pontos já está pronto desde antes do recesso. Eu penso que o meu relatório ele tem sustentação técnica e foi extremamente positivo para o que nós objetivamos. Repito, controle dos gastos públicos e, principalmente, da trajetória da dívida. Eu vou apresentar minha posição defendendo o meu relatório, porém, a respeitarei a decisão do colégio de líderes", afirmou o relator.

O novo marco fiscal vai substituir o teto de gastos, prevendo regras para que os gastos do governo se mantenham em patamar menor do que o arrecadado. Entre os critérios para o equilíbrio das contas públicas está o reajuste anual dos gastos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e um percentual sobre o crescimento da receita primária: de 70% da variação real da receita, caso a meta do ano anterior ao da elaboração da lei orçamentária anual tenha sido cumprida ou 50% da variação real da receita, caso a meta do ano anterior não tenha sido cumprida. Durante a aprovação no Senado, foram definidas exceções a regra: os gastos com a complementação do Fundeb, com as áreas de Ciência, Tecnologia e Inovação e repasses ao Fundo Constitucional do Distrito Federal (FCDF). 

O relator defende que o novo marco fiscal não seja aprovado com essas exceções, por diferentes motivos. Segundo Cajado, em relação ao Fundeb, não haverá prejuízo ao Fundo.

"Não há prejuízo algum e ao tirar, ao excluir os recursos do Fundeb para a base de cálculo das despesas, você prejudica o conjunto das despesas. E não comprime os recursos do Fundeb por que existe um extrateto de 2%, a cada ano, que faz com que cresça os recursos do Fundeb sem competir com as demais despesas". 

Ciência e Tecnologia dentro do teto

O relator também alega que não há justificativa para priorizar com recursos extra teto somente uma área do governo.

"A Ciência e Tecnologia meritoriamente é positiva, mas qual foi o critério? Por que o conjunto dos recursos da educação são menos importantes para excluir da base de despesas do que a Ciência e Tecnologia? Ou a saúde? E se for do ponto de vista meritório, eu acho que os fundos das Forças Armadas são tão importantes quanto. Se for por meritocracia, várias áreas, vários ministérios deveriam estar excepcionalizados e por ser meritório eu acho que deveria ser um tratamento justo e igualitário, não excepcionalizado".

O governo tem pressa para que a proposta seja aprovada pois está aguardando as novas regras para enviar a proposta de lei de diretrizes orçamentárias de 2024.

Veja trechos da entrevista com o relator do marco fiscal:

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
congresso
entrevista
cajado
claudio cajado
soane-guerreiro
fundo constitucional
ciência e tecnologia

Últimas notícias

Uma em cada oito crianças no mundo sofre com obesidade

Uma em cada oito crianças no mundo sofre com obesidade

Além dos obesos, a pesquisa constatou que 43% dos adultos do mundo estão com sobrepeso
Mosquito da dengue oferece risco também a cachorros e gatos

Mosquito da dengue oferece risco também a cachorros e gatos

Aedes aegypti pode transmitir aos pets doença conhecida como 'verme do coração'; conheça sintomas e tratamento
José Dirceu deve ter alta hospitalar neste sábado

José Dirceu deve ter alta hospitalar neste sábado

Político está internado desde o dia 25 de fevereiro por causa de uma pneumonia
Brasil volta a ser top 10 das maiores economias do mundo com PIB de 2023

Brasil volta a ser top 10 das maiores economias do mundo com PIB de 2023

País ocupa atualmente a 9ª colocação, à frente de Canadá, Rússia e Austrália. Confira lista
Militares que metralharam família no RJ podem ter penas reduzidas de 30 para 3 anos

Militares que metralharam família no RJ podem ter penas reduzidas de 30 para 3 anos

Dois ministros do STM consideraram homicídio culposo a ação do Exército que teve 257 tiros de fuzil e resultou em duas mortes
Mistura de biodiesel no diesel sobe para 14% a partir desta sexta

Mistura de biodiesel no diesel sobe para 14% a partir desta sexta

Combinação evita a emissão de 5 milhões de toneladas de gás carbônico na atmosfera
Aumento de casos de doenças como a dengue deve causar impacto de até R$ 20 bilhões no PIB

Aumento de casos de doenças como a dengue deve causar impacto de até R$ 20 bilhões no PIB

País pode fechar o ano com mais de quatro milhões de infectados por arboviroses
Belo Horizonte inaugura hospital de campanha para atendimento de pacientes com dengue

Belo Horizonte inaugura hospital de campanha para atendimento de pacientes com dengue

Minas Gerais é o estado com o maior número de casos prováveis da doença
Polícia prende 23 pessoas que aplicavam golpes em comerciantes de sete estados

Polícia prende 23 pessoas que aplicavam golpes em comerciantes de sete estados

"Central de telemarketing do crime" funcionava em São Paulo; idosos eram vítimas preferidas
Associações médicas do Brasil vão enviar manifesto sobre péssima qualidade do ar para Marina Silva e Conama

Associações médicas do Brasil vão enviar manifesto sobre péssima qualidade do ar para Marina Silva e Conama

No Brasil, a poluição atmosférica mata mais de 50 mil pessoas por ano, eleva o número de internações hospitalares e gera custos ao sistema público de saúde, diz pesquisa
Publicidade
Publicidade