Publicidade

CPIs das ONGs e das pirâmides podem ser instaladas nas próximas semanas

Se confirmada a instalação, Congresso terá seis comissões em funcionamento

CPIs das ONGs e das pirâmides podem ser instaladas nas próximas semanas
Amazônia, à esq., e representação de bitcoin, à dir., em montagem (Divulgação/Pixabay/Michael Wensch/Domínio Público)
Publicidade

Mais duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) podem ser instaladas no Congresso Nacional nas próximas semanas: a das ONGs, criada no Senado, e a das pirâmides financeiras, criada na Câmara dos Deputados. Se realmente iniciarem os trabalhos, o total de CPIs em andamento no Congresso subirá para cinco, sem contar a CPMI dos atos golpistas do 8 de janeiro.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

A comissão das ONGs tem a finalidade de investigar, no prazo de 130 dias, a liberação, pelo Governo Federal, de recursos públicos para organizações não governamentais e organizações da sociedade civil de interesse público. E também a utilização, por essas entidades, desses recursos e de outros por elas recebidos do exterior, de 2002 até 1º de janeiro de 2023. Terá 11 titulares e sete suplentes.

Em entrevista ao SBT News, o senador Plínio Valério (PSDB-AM), autor do requerimento para instalação da CPI, disse que seis dos 11 integrantes titulares já foram indicados. São eles: Márcio Bittar (União-AC), o próprio Plínio, Styvenson Valentin (Podemos-RN), Dr. Hiran (PP-RR), Jayme Campos (União-MT) e Zequinha Marinho (PL-PA). No momento, está definido que o autor do requerimento será o presidente da comissão. Bittar pediu para ser o relator. "Eu acho um bom nome, mas isso só vai ser depois da escolha oficial do presidente. Então, é ponto pacífico de que eu serei o presidente", fala o senador do PSDB do Amazonas.

De acordo com Plínio, os blocos parlamentares que apoiam o governo não fizeram a indicação dos seus membros e não vão fazê-lo. "É para esvaziar. É para desqualificar a CPI", afirma. Ainda de acordo com ele, todos os requisitos já foram preenchidos, mas não instalaram nesta semana para não coincidir com o início dos trabalhos da CPMI do 8 de janeiro, "que está tendo todo o palco, toda iluminação para eles".

"A gente já está apto. Tem uma reunião 3ª feira [30.mai], entre os seis membros, e vamos decidir a data para a gente instalar e traçar um roteiro. Enquanto isso, a gente está realmente catalogando as etnias, os caciques que reclamam das ONGs, as denúncias que existem contra as ONGs".

Plínio quer ver "como a CPMI se comporta na primeira e segunda semana". "Mas eu também não posso esperar muito, para não perder o time de que a gente está autorizado, está apto [a instalar] e não faz. Eu acho que o certo seria no começo do próximo mês", complementa.

O senador ressalta que, pelos estados dos integrantes indicados, a "Amazônia está toda contemplada" na comissão. "São pessoas afinadas. Nós estamos afinados em querer descobrir porque o interesse das ONGs na Amazônia. Embora nós saibamos qual é o interesse", afirmou.

O objetivo da CPI, diz ele, é "poder abrir essa caixa-preta no que diz respeito às ONGs, principalmente as ambientais na Floresta Amazônica". "Por que a gente quer isso? Eu sou do Amazonas, sou caboclo de beira de rio. A gente a vida inteira é utilizado, é manipulado por essas organizações. Eu te dou exemplo do Instituto Socioambiental, que por muito tempo tomou conta da região do Rio Negro, inclusive proibindo brasileiros de irem lá", acusa.

Dessa forma, fala o senador, os participantes da comissão querem saber, em relação às ONGs que receberam dinheiro do Fundo Amazônia: "o que fizeram com esse dinheiro, por que fizeram, onde e para quem". "Então, nós vamos pegar os convênios auditados pelo Tribunal de Contas da União. Erros foram detectados em todos. Tem denúncias de contrabando de minério, de transporte de drogas".

Tudo isso, ressalta, será apurado pelo colegiado. "A gente nota a necessidade que o brasileiro tem de saber isso".

Deverão ser propostas as convocações, segundo Plínio, de representantes das ONGs auditadas pelo TCU que receberam dinheiro do Fundo Amazônia. Ele cita os nomes do Instituto Socioambiental e da Fundação Amazônia Sustentável. "Então, a gente quer começar por aí. Temos anotado e vamos trazer para a CPI também algumas dezenas de caciques de várias etnias, que estão prejudicados, que não concordam, que combatem as ONGs e não têm apoio. E a partir daí, a meada, esse é só o fio da meada. A gente vai ver se chega aonde realmente estão os financiadores dessas organizações".

O parlamentar as acusa de representarem "os instrumentos do novo colonialismo, que hoje se pratica dessa forma. São cavalos de Tróia que foram introduzidos na Amazônia algumas décadas atrás".

CPI das pirâmides financeiras

A outra Comissão Parlamentar de Inquérito que poderá ser instalada foi criada para investigar 11 empresas, identificadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que teriam feito operações fraudulentas com uso de criptomoedas. As companhias são acusadas de utilizarem de divulgação de informações falsas sobre projetos e promessa de rentabilidade alta ou garantida para atrair as vítimas e sustentar um esquema de pirâmide.

O prazo inicial da CPI será de 120 dias. Terá 32 titulares e 32 suplentes. Ao SBT News, o autor do requerimento para instalação do colegiado, deputado Aureo Ribeiro (Solidariedade-RJ), afirmou que a comissão é importante porque "tem regimentalmente a possibilidade de aprofundar uma investigação e contar com apoio da Polícia Federal, do Ministério Público, e ter um grupo selecionado na Câmara trabalhando esse tema".

"Então, a gente vai trabalhar para investigar os crimes que aconteceram com criptoativos em pirâmides, para que a gente possa sanar esse problema que acontece repetidamente no nosso país".

A previsão é que a CPI seja instalada na próxima semana, dependendo apenas da indicação dos integrantes pelos líderes partidários. Aureo deverá ser o presidente. "A gente está pedindo aos líderes para ter no corpo da CPI pessoas que conheçam o tema e que possam contribuir com a comissão para que a gente possa ter um bom relatório final. Deputados que trabalham com o tema de tecnologia, com criptoativo", pontua o parlamentar do Solidariedade.

Um dos nomes que serão convocados para prestar depoimento na CPI, segundo ele, é Glaidson Acácio dos Santos, o "faraó dos bitcoins". Os donos da Braiscompany, da Paraíba, também, além de "todos que tiverem qualquer envolvimento já amplamente divulgado pela mídia com pirâmides financeiras no nosso país".

Também nas palavras de Aureo, "a CPI tem um papel, com o apoio de outros órgãos, sim, de tentar descobrir o paradeiro de alguns foragidos da Justiça". "Para que a gente possa ter o depoimento deles e ajudar os órgãos competentes a solucionar esses grandes prolemas".

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
congresso
câmara dos deputados
senado
cpi
pirâmides financeiras
criptomoedas
ongs
amazônia
investigação
dinheiro
membros
convocação
guilherme-resck

Últimas notícias

Jovem é morto após marcar encontro por aplicativo de relacionamento gay em SP

Jovem é morto após marcar encontro por aplicativo de relacionamento gay em SP

Leonardo Rodrigues Nunes, de 24 anos, chegou a ser socorrido Pronto Socorro do Hospital Ipiranga, porém não resistiu aos ferimentos
Temporais provocam inundações e ameaçam prédios no Chile

Temporais provocam inundações e ameaçam prédios no Chile

Erosão causada pela chuva coloca em risco um complexo de edifícios de luxo em Viña del Mar
Por falta de segurança, nem todos caminhões de ajuda humanitária são recebidos em Gaza

Por falta de segurança, nem todos caminhões de ajuda humanitária são recebidos em Gaza

Bombardeios israelenses no extremo sul, em Rafah fazem ser inviável a passagem dos caminhões
Mercado Público de Porto Alegre volta a funcionar parcialmente após 41 dias fechado por inundação

Mercado Público de Porto Alegre volta a funcionar parcialmente após 41 dias fechado por inundação

Os restaurantes do segundo piso e as lojas com acesso direto para a rua voltam a operar das 10h às 15h, nesta sexta (14) e sábado (15)
VaideBet e Corinthians: polícia tenta localizar testemunha chave do caso

VaideBet e Corinthians: polícia tenta localizar testemunha chave do caso

Segundo a polícia, Adriana Ramuno, de 53 anos, esteve na casa da mulher, usada como laranja no repasse de comissão da VaideBet, antes do caso ir à imprensa
Ministério Público do RS prende 26 em operação contra grupo criminoso que atuava na serra gaúcha

Ministério Público do RS prende 26 em operação contra grupo criminoso que atuava na serra gaúcha

Segundo o MP-RS, o grupo é um dos mais ativos e violentos na serra gaúcha
STF forma maioria para tornar Janones réu por ofensas contra Jair Bolsonaro

STF forma maioria para tornar Janones réu por ofensas contra Jair Bolsonaro

Nas redes sociais, o deputado chamou o presidente de “assassino”, “miliciano” e “ladrãozinho de joias”
Thiago Brennand é condenado a indenizar advogada por danos morais

Thiago Brennand é condenado a indenizar advogada por danos morais

Gabriela Manssur entrou com uma ação por calúnia contra o empresário depois que ele ser referiu a ela como "bandida", "maloqueira" e "canalha" nas redes sociais
Rio Grande do Sul recebe destinação recorde do Imposto de Renda

Rio Grande do Sul recebe destinação recorde do Imposto de Renda

Ao todo, foram R$ 101 milhões, quase três vezes mais do que o valor registrado em 2023
TRE decide que representações do MDB de Nunes contra PT e PSOL são improcedentes

TRE decide que representações do MDB de Nunes contra PT e PSOL são improcedentes

Para partido do prefeito de São Paulo, panfletos com críticas à gestão configuravam propaganda eleitoral antecipada. Juiz eleitoral discordou
Publicidade
Publicidade