Publicidade

Redução do IDH no Brasil: Pnud se preocupa com “custo da inação” em meio às crises

Catástrofes climáticas e crises sanitárias podem impactar no IDH do país; capacidade da governança de um estado é uma forma de gestão de crise, diz entidade

Redução do IDH no Brasil: Pnud se preocupa com “custo da inação” em meio às crises
Área devastada por enxurrada em Sinimbu, no Rio Grande do Sul. (Mauricio Tonetto / Secom-RS)
Publicidade

As enchentes no Rio Grande do Sul vão afetar negativamente o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Estado, e a pandemia da Covid-19 está relacionada diretamente à uma regressão do índice no Brasil. Aa avaliação é do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que tem se preocupado com o custo da inação frente às crises no país.

Em entrevista coletiva de lançamento do relatório do PNUD, nesta terça-feira (28), a coordenadora da Unidade de Desenvolvimento Humano do Programa no Brasil, Betina Barbosa, afirmou que “algumas crises podem ter uma ação prévia de cuidar”.

“Eu acho que o que o PNUD se preocupa é com esse custo da inação. Algumas crises podem ter uma ação prévia para cuidar. A gente sabe que os eventos extremos vão se acumular no planeta, o Brasil não vai ficar de fora disso. Então, como se organizar para essas crises, que são, por exemplo, as climáticas ou crises sanitárias que possam vir?”, pontuou a coordenadora.

Quanto às enchentes no Rio Grande do Sul, Betina explicou que a catástrofe de fato vai atingir o IDH, como a pandemia da covid-19 atingiu. O que pode reverter ou explicar os níveis de disparidade entre os estados é a capacidade da governança de um estado mobilizar e aplicar políticas públicas em resposta à crise, ou seja, a qualidade da gestão de crise.

“A política faz diferença. A política pública faz diferença e a tomada de decisão por parte dos governantes também faz a diferença. Isso está em relatórios globais, não apenas no brasileiro. Já está evidenciado”, disse Barbosa.

Betina ainda listou que o IDH do Estado deve ser afetado negativamente nas três frentes principais do indicador: na sanitária; na educacional; na de renda.

No caso sulista, o representante-residente do PNUD no Brasil, Cláudio Providas, explicou que a reconstrução do Rio Grande do Sul vai levar um tempo, e que o emprego e atividade econômica são os pontos que já impactam mais o estado afetado.

“Na parte humana, os atrasos fundamentais são doenças, saúde, que já estão tendo impacto no emprego e na atividade econômica. Tem alguns municípios que têm um impacto quase total na atividade econômica.”, falou Providas.

O representante reforçou que a reconstrução da região atingida deve ser feita de forma “mais inteligente”, para diminuir “riscos” e “vulnerabilidades”.

“Uma reconstrução, talvez, um pouco mais inteligente, compreendendo que todos os anos estão batendo recordes de chuvas, recordes de temperaturas frias, de ventos extremos, de calor. (...) tem que entender que o mundo está mudando, é muito difícil se situar no dia a dia e compreender uma mudança.”, completou Providas.

*Estagiária sob supervisão de Afonso Benites

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Enxurrada
enchente
Rio Grande do Sul
mudanças climáticas
ONU
Brasil

Últimas notícias

Em cinco anos, deputados apresentaram 14 propostas para restringir ou dificultar aborto legal

Em cinco anos, deputados apresentaram 14 propostas para restringir ou dificultar aborto legal

Entre os projetos, está o que cria o Estatuto do Nascituro e um que obriga a apresentação de boletim de ocorrência para fazer aborto em caso de estupro
Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 53 milhões nesta terça-feira (18)

Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 53 milhões nesta terça-feira (18)

Apostas podem ser feitas em casas lotéricas ou pela internet até as 19h
Brasil Agora: Idealizadores de plano de sequestro de Moro são mortos na prisão

Brasil Agora: Idealizadores de plano de sequestro de Moro são mortos na prisão

Confira essas e outras notícias que serão destaque nesta terça-feira (18)
Mauro Cid e pai prestam novo depoimento à PF sobre caso das joias sauditas

Mauro Cid e pai prestam novo depoimento à PF sobre caso das joias sauditas

Agentes identificaram mais um item que teria sido colocada à venda ilegalmente pelos auxiliares de Bolsonaro
Putin elogia Coreia do Norte por apoio em guerra contra Ucrânia

Putin elogia Coreia do Norte por apoio em guerra contra Ucrânia

Presidente russo também alfinetou países ocidentais, dizendo que o plano de isolar Moscou não funcionou
Corpo de Jacqueline Laurence será velado no Teatro Tablado, no RJ, nesta terça-feira (18)

Corpo de Jacqueline Laurence será velado no Teatro Tablado, no RJ, nesta terça-feira (18)

Cerimônia ocorrerá das 10h e 14h e será aberta ao público; crematório será reservado aos familiares
Nota Fiscal Paulista libera R$ 34,7 milhões em créditos; veja como resgatar

Nota Fiscal Paulista libera R$ 34,7 milhões em créditos; veja como resgatar

Valor é referente às compras realizadas em fevereiro de 2024 e ficará disponível para transferência por um ano
Coreia do Sul volta a fazer disparos de advertência após norte-coreanos cruzarem fronteira

Coreia do Sul volta a fazer disparos de advertência após norte-coreanos cruzarem fronteira

Militares recuaram após os tiros; Seul acredita que violação não foi intencional
SBT News na TV: chuvas voltam ao RS e provocam novos alagamentos

SBT News na TV: chuvas voltam ao RS e provocam novos alagamentos

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta terça-feira (18); assista!
Brasil se aproxima de 6 milhões de casos e 4 mil mortes por dengue em 2024

Brasil se aproxima de 6 milhões de casos e 4 mil mortes por dengue em 2024

Números são maiores que os registrados em todo o ano de 2023
Publicidade
Publicidade