Publicidade

Luta e humor nos enredos da Rosas, Mocidade, Barroca, Independente e Milênio

Escolas de SP levam combate ao racismo e celebra o riso nos desfiles no Anhembi

Luta e humor nos enredos da Rosas, Mocidade, Barroca, Independente e Milênio
Mulher negra, de costas e vestes brancas, com céu ao fundo
Publicidade

No país que 98,5% dos entrevistados em uma pesquisa feito pelo instituto Ideia, no início de 2022, admitem que existe racismo no Brasil, mas 85% se consideram "nada racistas"; ou, ainda, um país onde 65% das pessoas mortas por forças policiais são negras - ou, cinco assassinatos por dia -, pelo menos duas escolas de samba de São Paulo vão apresentar um grito contra o racismo e todas as formas de violência contra a população preta no sambódromo do Anhembi. 

Lutas por igualdade  

A Rosas de Ouro levará para a avenida o enredo "Kindala! Que amanhã não seja só um ontem com um novo nome" para exaltar lutas e conquistas dos negros e a busca por igualdade, criticando o "mascaramento" de situações traduzidas no racismo estrutural que assola o país.  

"Kindala", no idioma bantu, significa "agora", uma forma contundente de mostrar que mudanças devem ser feitas o quanto antes. O subtítulo do enredo evoca um verso da música "AmarElo", do rapper Emicida, uma canção de resistência de todas as minorias marginalizadas e que sofrem na pele e corpos os vários tipos de violências. 

Tomaz Silva/Agência Brasil

O rapper, indiretamente, encontra eco em outro enredo de uma escola da zona norte de São Paulo. A Mocidade Alegre levará ao Anhembi o enredo "Yasuke", o primeiro samurai negro da história do Japão por volta do século 16. Outra música de Emicida leva o nome do guerreiro, além de uma coleção de roupas icônica, da marca LabFantasma, também do rapper. O desfile na São Paulo Fashion Week de 2017 fez história ao levar pretos e gordos na passarela da moda, quando essa passarela ainda era branca, magra e excludente. 

Na passarela do samba, o espírito de Yasuke se traduzirá na força bendita do poder - evocando mais um verso do rapper-? que cruzou o mar e chegou ao Oriente, ressoando na cidade mais japonesa fora do Japão. Nas periferias da cidade que não pára, cada jovem negro se veste com a armadura preta de Yasuke para lutar, ser e estar onde quiser

Luta dos indígenas por liberdade 

Do outro lado da capital, no Jabaquara, a Barroca Zona Sul vai exaltar outra luta: dos Guaicurus, indígenas do Pantanal. Na batalha conta invasores portugueses, espanhóis e assassinos bandeirantes, a liberdade como lei para defender a terra originária. Sem senhor, sem invasor e sem subserviência. 

Marcelo Camargo/Agência Brasil

O enredo acaba por ressaltar dois recentes e lamentáveis episódios ocorridos no Brasil: os incêndios devastadores no Pantanal, em 2020 ? e as elevadas taxas de desmatamento dos últimos anos, com recordes ? além da situação dramática dos yanomamis. Nos ensaios da Barroca era comum ver desfilantes com placas do tipo "S.O.S Yanomamis" e pedindo respeito aos verdadeiros donos daquela terra

Luta por vitória e conquista 

A Independente Tricolor também vai guerrear no sambódromo paulistano. Após estrear na elite em 2018 e cair por um problema na alegoria da comissão de frente; depois de um incêndio que destruiu fantasias e carros alegóricos em 2019, a escola vai usar a Guerra de Troia como inspiração no retorno ao Grupo Especial. 

No conflito da antiguidade, a estratégia foi determinante para a vitória, em meio a amores e traições e um dos "presente" mais famosos da humanidade: o Cavalo de Troia. Agora, presente na elite das agremiações, a Independente quer vencer a batalha e fincar o samba no pé no grupo principal. 

Faça humor, não faça guerra 

Quem também estreia na elite é a Estrela do Terceiro Milênio. A escola do bairro do Grajaú, no extremo sul da capital paulista, vai cantar o enredo "Me dê sua tristeza que eu transformo em alegria. Um tributo à arte de fazer rir". Na passarela, uma homenagem ao humor, artistas e personagens que marcaram o país com o riso. 

Carlos Alberto de Nóbrega no banco da "Praça" | Reprodução/SBT

O desfile vai remontar à antiguidade, passando pelos bobos da corte da era medieval, até chegar ao Brasil. Por aqui, o riso como forma de enfrentar os horrores da ditadura militar, driblando a guerra de informação e a censura promovida pelos executores. Por fim, o humor em todas as telas, "no sofá ou no banco da praça", como um remédio para aplacar todas as dores, de tantas guerras e lutas, sem perder a graça, mas sempre com resistência. 

Na última parte sobre os enredos do Carnaval de São Paulo para 2023, uma viagem do céu à terra com a Águia de Ouro, Vila Maria, Tatuapé, Dragões e Mancha Verde.

Leia também

Carnaval em SP: conheça os enredos de Gaviões, Império, Tucuruvi e Tom Maior

6ª feira de carnaval terá chuva, mas ainda é pouca

Não fique no prejuízo: veja como curtir a folia em segurança

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

brasil
carnaval
desfiles
enredo
sambódromo
anhembi
rosas de ouro
kindala
mocidade alegre
yasuke
barroca
guaicurus
independente
guerra
milênio
humor
praça
racismo
luta
indígenas
yanomami
sbt news
portalnews
são paulo

Últimas notícias

PEC das drogas: entenda o que muda com a proposta e quais próximos passos no Congresso

PEC das drogas: entenda o que muda com a proposta e quais próximos passos no Congresso

Proposta que reforça Lei de Drogas foi aprovada na CCJ da Câmara e segue para comissão especial; enquanto isso, julgamento do STF pode ser retomado
Cantor sertanejo descobre tumor cerebral e cancela shows

Cantor sertanejo descobre tumor cerebral e cancela shows

Augusto, da dupla com Rafael, fará cirurgia nos próximos dias
Leilão de arroz, alta do dólar, ministro indiciado, MP devolvida: entenda semana tensa do governo Lula

Leilão de arroz, alta do dólar, ministro indiciado, MP devolvida: entenda semana tensa do governo Lula

Executivo ainda sofreu com avanço de pautas conservadoras no Congresso, alta do dólar e da inflação e saída de secretário do Ministério da Agricultura
Gestante que se jogou de prédio: diarista recebeu proposta sexual do mesmo homem

Gestante que se jogou de prédio: diarista recebeu proposta sexual do mesmo homem

Igor Campos está preso após as agressões cometidas no último domingo (08)
Policial penal de folga agride mulher e é preso em Goiás

Policial penal de folga agride mulher e é preso em Goiás

No dia seguinte, agressor foi trabalhar normalmente depois do crime; outro homem também participou da violência
Família denuncia hospital por negligência após morte de recém-nascida

Família denuncia hospital por negligência após morte de recém-nascida

Criança nasceu com infecção e, de acordo com os pais, recebeu alta antes do tempo
BeReal, rede social que cresceu entre a Geração Z, foi vendida por R$ 3 bilhões

BeReal, rede social que cresceu entre a Geração Z, foi vendida por R$ 3 bilhões

Rede social chamou a atenção em 2022 por ter a proposta de ser "anti-Instagram", teve queda no número de usuários e foi adquirida por uma produtora de jogos
Comércio cresce 0,9% em abril, diz IBGE

Comércio cresce 0,9% em abril, diz IBGE

Acumulado do ano chegou a 4,9%, enquanto nos últimos 12 meses, somou 2,7%
Tebet: "Não passa pela cabeça desvincular aposentadoria do salário mínimo"; entenda o que está em jogo

Tebet: "Não passa pela cabeça desvincular aposentadoria do salário mínimo"; entenda o que está em jogo

Ministra afirmou que Lula e equipe econômica estudam "modernização" de benefícios vinculados ao Orçamento
Três detentos pulam alambrado e fogem de presídio em Minas Gerais

Três detentos pulam alambrado e fogem de presídio em Minas Gerais

Trio acessou uma área de mata fechada próxima da Penitenciária de Teófilo Otoni
Publicidade
Publicidade