Publicidade

Prazo para aprovar regulamentação da reforma tributária na Câmara é "totalmente factível", diz Haddad

Ministro da Fazenda confirmou que segundo projeto de regulamentação da reforma chegará à Casa Legislativa na próxima semana

Prazo para aprovar regulamentação da reforma tributária na Câmara é "totalmente factível", diz Haddad
Segundo Haddad, a promulgada no ano passado é a maior reforma tributária já feita no Brasil | Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Publicidade

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse nesta quarta-feira (22) que a regulamentação da reforma tributária tem data marcada para ser aprovada na Câmara dos Deputados: em 8 de julho. Segundo o ministro, o prazo é "totalmente factível".

"Por que? Porque a lei complementar não pode alterar a Constituição, e a Constituição já estabeleceu os parâmetros do que será a regulamentação da reforma tributária. E com as pessoas qualificadas designadas, eu não tenho dúvida", acrescentou o titular da Fazenda. Ele participa de uma audiência pública na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara.

Haddad ressaltou que o primeiro projeto de regulamentação da reforma tributária já foi entregue pelo governo à Câmara e que o segundo chegará na próxima semana. "A segunda depende dos estado e dos municípios. Mas o [Bernard] Appy já me garantiu que fecha os entendimentos com estados e municípios, retoque final, para chegar aqui para os senhores avaliarem", explicou.

As duas leis complementares, falou Haddad, substituirão "5.570 sistemas municipais, 27 estados e DF e o da própria União por um sistema tributário com um único imposto". "Porque quando a gente fala de CBS e IBS, dá a impressão que são dois impostos, mas não são".

Na realidade, pontuou, "o imposto é o mesmo, só a destinação que muda. Uma parte vai para a União, uma parte vai para estados e municípios".

Ainda de acordo com Haddad, a proposta promulgada no ano passado é a maior reforma tributária já feita no país. "Em regime democrático, é a única. É a maior e é única. Olha a proeza que é você fazer uma reforma tributária, a maior delas, no diálogo, com toda a sociedade, todo mundo participando".

Na terça-feira (21), o presidente da Câmara, Arthur Lira, instituiu os grupos de trabalho que discutirão a regulamentação da reforma. Cada GT analisará um dos Projetos de Lei Complementar do governo.

Alíquota do Imposto sobre Valor Adicionado

A reforma substitui tributos pelo Imposto sobre Valor Adicionado (IVA). Haddad falou sobre o IVA na audiência pública também.

"Às vezes, eu ouço notícias de jornal: 'Ah, mas a nossa alíquota de IVA vai ser uma das maiores do mundo'. Primeiro, vai ser muito menor do que a de hoje. Isso ninguém fala. Muito menor do que a praticada hoje. E em segundo lugar, o IVA será tão menor quanto maior for a base de arrecadação", declarou.

Em suas palavras, "se todo mundo der a sua contribuição, a alíquota vai ser menor". "Porque um dos princípios dessa reforma tributária é manter a carga estável. Então a única maneira de abaixar a alíquota é ampliar a base, isso é inescapável".

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Política
Governo
Economia
Congresso Nacional
Câmara
Fernando Haddad
Reforma Tributária

Últimas notícias

Em cinco anos, deputados apresentaram 14 propostas para restringir ou dificultar aborto legal

Em cinco anos, deputados apresentaram 14 propostas para restringir ou dificultar aborto legal

Entre os projetos, está o que cria o Estatuto do Nascituro e um que obriga a apresentação de boletim de ocorrência para fazer aborto em caso de estupro
Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 53 milhões nesta terça-feira (18)

Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 53 milhões nesta terça-feira (18)

Apostas podem ser feitas em casas lotéricas ou pela internet até as 19h
Brasil Agora: Idealizadores de plano de sequestro de Moro são mortos na prisão

Brasil Agora: Idealizadores de plano de sequestro de Moro são mortos na prisão

Confira essas e outras notícias que serão destaque nesta terça-feira (18)
Mauro Cid e pai prestam novo depoimento à PF sobre caso das joias sauditas

Mauro Cid e pai prestam novo depoimento à PF sobre caso das joias sauditas

Agentes identificaram mais um item que teria sido colocada à venda ilegalmente pelos auxiliares de Bolsonaro
Putin elogia Coreia do Norte por apoio em guerra contra Ucrânia

Putin elogia Coreia do Norte por apoio em guerra contra Ucrânia

Presidente russo também alfinetou países ocidentais, dizendo que o plano de isolar Moscou não funcionou
Corpo de Jacqueline Laurence será velado no Teatro Tablado, no RJ, nesta terça-feira (18)

Corpo de Jacqueline Laurence será velado no Teatro Tablado, no RJ, nesta terça-feira (18)

Cerimônia ocorrerá das 10h e 14h e será aberta ao público; crematório será reservado aos familiares
Nota Fiscal Paulista libera R$ 34,7 milhões em créditos; veja como resgatar

Nota Fiscal Paulista libera R$ 34,7 milhões em créditos; veja como resgatar

Valor é referente às compras realizadas em fevereiro de 2024 e ficará disponível para transferência por um ano
Coreia do Sul volta a fazer disparos de advertência após norte-coreanos cruzarem fronteira

Coreia do Sul volta a fazer disparos de advertência após norte-coreanos cruzarem fronteira

Militares recuaram após os tiros; Seul acredita que violação não foi intencional
SBT News na TV: chuvas voltam ao RS e provocam novos alagamentos

SBT News na TV: chuvas voltam ao RS e provocam novos alagamentos

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta terça-feira (18); assista!
Brasil se aproxima de 6 milhões de casos e 4 mil mortes por dengue em 2024

Brasil se aproxima de 6 milhões de casos e 4 mil mortes por dengue em 2024

Números são maiores que os registrados em todo o ano de 2023
Publicidade
Publicidade