Publicidade

Estados Unidos apresentam proposta de cessar-fogo em Gaza

Proposta exige a libertação de todos os reféns levados de Israel e o levantamento de todas as restrições à entrega de ajuda humanitária

Estados Unidos apresentam proposta de cessar-fogo em Gaza
Publicidade

Os Estados Unidos apresentaram uma resolução no Conselho de Segurança da ONU que apoiaria um cessar-fogo temporário em Gaza, após rejeitar uma proposta apoiada pelos países árabes que exigia uma trégua humanitária imediata no território afetado pelo conflito.

A proposta de resolução dos EUA, obtida nesta segunda-feira (19) pela Associated Press, destaca que um cessar-fogo temporário "o mais rápido possível" exige a libertação de todos os reféns levados de Israel após o ataque do Hamas em 7 de outubro e pede o levantamento de todas as restrições à entrega de ajuda humanitária.

O rascunho dos EUA afirma que ambas as ações "ajudariam a criar as condições para uma cessação sustentável das hostilidades", conforme exigido por uma resolução adotada pelo conselho em 22 de dezembro.

A resolução proposta afirma que a planejada grande ofensiva terrestre de Israel na cidade de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, onde cerca de 1,5 milhão de palestinos buscaram refúgio, "não deve prosseguir nas circunstâncias atuais". E adverte que o deslocamento adicional de civis, "incluindo potencialmente para países vizinhos", numa referência ao Egito, teria sérias implicações para a paz e segurança regionais.

A expectativa é de que o Conselho de Segurança vote na manhã de terça-feira (20) sobre a resolução árabe apoiada pela Argélia, que representa os 22 países árabes no órgão mais poderoso da ONU.

Além de um cessar-fogo, o rascunho final argelino, obtido pela AP, exige também a libertação imediata de todos os reféns e reitera as exigências do conselho de que Israel e o Hamas "cumpram escrupulosamente" o direito internacional, especialmente a proteção de civis, e rejeita o deslocamento forçado de civis palestinos.

A embaixadora dos EUA, Linda Thomas-Greenfield, disse em um comunicado no domingo (18) que os Estados Unidos estão trabalhando em um acordo de reféns há meses, que traria pelo menos um período de seis semanas de calma "do qual poderíamos então tomar o tempo e as medidas para construir uma paz mais duradoura".

Ela afirmou que o presidente dos EUA, Joe Biden, teve várias chamadas na última semana com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e os líderes do Egito e do Catar para impulsionar o acordo. O Catar afirmou no sábado que as conversas "não têm progredido como esperado".

"Embora ainda existam lacunas", disse Thomas-Greenfield, "os elementos-chave estão na mesa" e continua sendo a melhor oportunidade para reunir reféns com suas famílias e permitir uma pausa prolongada no conflito que permitiria a entrega de ajuda vital aos civis palestinos que desesperadamente precisam.

Em contraste, a resolução apoiada pelos árabes não alcançaria esses resultados, "e de fato, pode ser contraproducente", disse ela. "Por esse motivo, os Estados Unidos não apoiam a ação sobre esta resolução. Se ela for votada conforme redigida, não será adotada."

O embaixador adjunto dos EUA, Robert Wood, disse a vários repórteres na segunda-feira que o rascunho argelino não é "um mecanismo eficaz para tentar fazer as três coisas que queremos ver acontecer - que é tirar os reféns, trazer mais ajuda e uma pausa prolongada neste conflito".

Com o rascunho dos EUA, "estamos considerando outra opção possível e discutiremos isso com amigos no futuro", disse Wood. "Não acredito que você possa esperar que algo aconteça amanhã."

As nações árabes, apoiadas por muitos dos 193 países membros da ONU, vêm exigindo um cessar-fogo há meses, à medida que a ofensiva militar de Israel em resposta ao ataque do Hamas se intensificou, com o número de palestinos mortos agora ultrapassando 29 MIL, segundo o Ministério da Saúde de Gaza, que não faz distinção entre civis e combatentes, mas afirma que a maioria são mulheres e crianças.

O presidente do Grupo Árabe neste mês, o embaixador da Tunísia na ONU, Tarek Ladeb, disse a repórteres da ONU na quarta-feira passada que cerca de 1,5 milhão de palestinos que buscaram refúgio na cidade de Rafah, no sul de Gaza, enfrentam um "cenário catastrófico" se o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu prosseguir com uma possível evacuação de civis e uma ofensiva militar na área próxima ao Egito.

Netanyahu ordenou que o exército elabore um plano para a evacuação de Rafah, mas Israel ainda não anunciou um plano ou cronograma.

A resolução proposta pela Argélia também expressa "grave preocupação com a situação humanitária grave e urgentemente deteriorada" em Gaza e reitera o apelo do conselho para acesso humanitário sem restrições em todo o território, onde funcionários da ONU afirmam que um quarto da população de 2,3 milhões enfrenta a fome.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Mundo
Estados Unidos
Guerra
Hamas
Israel
Palestina
ONU

Últimas notícias

Desembargadora que atacou Marielle Franco nas redes sociais é afastada pelo CNJ

Desembargadora que atacou Marielle Franco nas redes sociais é afastada pelo CNJ

Magistrada é acusada de disseminar informações falsas ao afirmar que a vereadora estava “engajada com bandidos” e foi eleita com a ajuda do Comando Vermelho
Governo faz proposta de aumento médio de 28% em quatro anos para técnicos em educação

Governo faz proposta de aumento médio de 28% em quatro anos para técnicos em educação

Entre pontos principais da solução apresentada, estão parcelas de reajuste de 9% em janeiro de 2025 e 5% em abril de 2026
Governo precisa confirmar fonte de receita para incluir municípios na reoneração, diz líder

Governo precisa confirmar fonte de receita para incluir municípios na reoneração, diz líder

Segundo relator, líder Jaques Wagner, proposta deve ser atualizada e votação sai na próxima semana
Governo federal suspende leilão para a compra de arroz importado

Governo federal suspende leilão para a compra de arroz importado

Pregão havia sido autorizado para evitar a alta de preços do produto depois das enchentes no Rio Grande do Sul
Tragédia no RS: Morte por leptospirose é confirmada em Venâncio Aires, segunda no estado

Tragédia no RS: Morte por leptospirose é confirmada em Venâncio Aires, segunda no estado

Vítima tinha 33 anos e teve contato com água de inundação
Lira vai criar dois grupos de deputados para avaliar regras da reforma tributária

Lira vai criar dois grupos de deputados para avaliar regras da reforma tributária

Na expectativa do parlamentar, novo formato deve permitir conclusão de votações na Câmara antes do fim do primeiro semestre
Milionário, cantor sertanejo, está internado após AVC

Milionário, cantor sertanejo, está internado após AVC

Artista da dupla com José Rico está consciente e se comunica com familiares
Comissão aprova proibição de recursos públicos a eventos esportivos sem igualdade entre gêneros

Comissão aprova proibição de recursos públicos a eventos esportivos sem igualdade entre gêneros

Projeto de Lei recebeu parecer favorável da senadora Janaína Farias (PT-CE) e segue agora para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ)
Alexandre de Moraes usa o termo “burrice” durante julgamento de Zambelli e do hacker Delgatti

Alexandre de Moraes usa o termo “burrice” durante julgamento de Zambelli e do hacker Delgatti

Por unanimidade, a Primeira Turma do STF aceitou, nesta terça-feira (21), a denúncia do MPF contra os dois acusados de invasão a sistemas do Judiciário
STF livra José Dirceu de cumprir pena por corrupção e lavagem de dinheiro

STF livra José Dirceu de cumprir pena por corrupção e lavagem de dinheiro

Por 3 votos a 2, ministros da 2ª Turma consideraram que a possibilidade de punição pelos crimes prescreveu
Publicidade
Publicidade