Publicidade

Autoteste é bem-vindo, mas demanda notificação de dados, diz infectologista

Para Ana Helena Germoglio, testagem já poderia ter sido adotadas no país, com cautela. Anvisa analisa autorização

Autoteste é bem-vindo, mas demanda notificação de dados, diz infectologista
Modelo de autoteste para detecção do coronavírus
Publicidade
Autoteste para detecção da covid-19 está em análise pela Anvisa | Divulgação
Autoteste para detecção da covid-19 está em análise pela Anvisa | Divulgação

A alta demanda de contaminados pela covid-19 voltou a lotar hospitais, laboratórios e clínicas médicas no país. Entre 10 e 11 de janeiro, 150 mil brasileiros se submeteram à detecção da doença. A taxa de positividade ficou em 36,63%, a mais elevada desde o início da pandemia observada em um único dia. O levantamento foi realizado pela Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma).

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Diante do novo -- ou velho -- cenário, a possibilidade para a identificação da enfermidade dentro da própria casa virou pauta entre os órgãos de saúde. Nos Estados Unidos e na Europa, o autoteste já é realidade: o kit pode ser comprado em farmácias. O usuário coleta uma pequena amostra de sangue e segue as instruções do fabricante para descobrir se está ou não com o vírus.

No Brasil, a autotestagem está em discussão na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Pelas regras, o Ministério da Saúde deve propor uma política pública para liberar o exame ao público leigo. Atualmente, são permitidos autotestes de diabetes, de HIV e de gravidez.

Na avaliação da infectologista Ana Helena Germoglio, já poderíamos usar a tecnologia, porém com cautela. "Apesar de ser uma tecnologia muito bem-vinda, precisa ser muito assertiva. A população precisa ser treinada, sob o risco de uma pessoa contaminada, ainda na fase transmissível, fazê-lo de forma errada, ter um resultado falso-negativo e sair transmitindo [coronavírus]", explica em entrevista ao SBT News

Avanço na ciência

Entretanto, a especialista avalia como positiva a análise domiciliar. "É um exame de rápido diagnóstico. O resultado sai em 15 minutos. Esse tipo de teste pode ser feito em sequência, pois indica se no momento o indivíduo está ou não com o doente. Isso possibilita a quebra na cadeia de transmissão, principalmente diante do cenário atual, de escassez nos insumos", detalha. 

Outro ponto levantado pela profissional da saúde considera a notificação oficial dos testes, já que a covid-19 necessita dos dados para a criação de estratégias de combate à doença. "Se a gente não mensura a quantidade de casos positivos, podemos incorrer no erro de achar que a pandemia já está controlada, com a falsa sensação de estar tudo bem", pontua.

A solicitação à Anvisa foi realizada pela Saúde no dia 13 deste mês. A intenção é fornecer um complemento ao Plano Nacional de Expansão da Testagem, o PNE-Teste. Por ser mais rápido, o exame faria parte de uma estratégia de triagem para o tratamento da doença.

Ainda de acordo com a entidade, a medida pode diminuir a sobrecarga dos serviços de saúde, reduzindo a espera por atendimento, além de melhorar a assistência aos infectados.

Em sessão nesta semana, a Anvisa optou por solicitar mais informações à Saúde sobre qual política pública será adotada para o uso do teste no Brasil. Um novo encontro será realizado no prazo de 15 dias.

Em comunicado, a agência "reconhece" a importância da autoanálise para ampliar o acesso aos testes, mas ressalta que os "itens faltantes" precisam ser avaliados.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

sbt
sbt jornalismo
sbt news
portalnews
pandemia
covid
coronavirus
saude
teste covid
autoteste
anvisa
ministerio da saude
andrezza-pugliesi
testagem domiciliar

Últimas notícias

Fila de espera no INSS para concessão de benefícios cai em 2024, diz relatório da Previdência Social

Fila de espera no INSS para concessão de benefícios cai em 2024, diz relatório da Previdência Social

Ao todo, os processos a espera de resposta inicial somam quase 1 milhão e 400, diminuição de 600 mil em relação a 2023
Mega-Sena acumula e chega a R$ 53 milhões; veja os números sorteados

Mega-Sena acumula e chega a R$ 53 milhões; veja os números sorteados

Quina teve 67 apostas ganhadoras, que vão receber mais de R$ 52 mil cada
Vídeo: homem morre e bebê é baleado em tiroteio em praça de Fortaleza

Vídeo: homem morre e bebê é baleado em tiroteio em praça de Fortaleza

Imagens mostram correria no local; estado de saúde da criança é grave
Produção de cinema na Argentina está praticamente paralisada

Produção de cinema na Argentina está praticamente paralisada

Trabalhadores da área acusam Javier Milei de ter um plano para prejudicar o setor
Divertida Mente 2: saiba tudo sobre o filme que chega aos cinemas na quinta-feira (20)

Divertida Mente 2: saiba tudo sobre o filme que chega aos cinemas na quinta-feira (20)

SBT Brasil visitou os estúdios da Pixar, em Los Angeles, para mostrar como a continuação foi produzida
Verão fora de época preocupa lojistas que contam com a venda de roupas de frio

Verão fora de época preocupa lojistas que contam com a venda de roupas de frio

Último inverno rigoroso que garantiu boas vendas foi em 2022. No ano passado, houve queda de 20%
Pré-candidata a vereadora e filho são mortos a tiros no RJ

Pré-candidata a vereadora e filho são mortos a tiros no RJ

Juliana Silva, conhecida como Nega Juh, foi morta em Nova Iguaçu, na noite deste sábado (15)
Número de acidentes em estradas federais tem aumentado

Número de acidentes em estradas federais tem aumentado

Só no ano passado, foram mais de 65 mil casos, três mil a mais do que em 2022
Novos temporais ameaçam a região metropolitana de Porto Alegre

Novos temporais ameaçam a região metropolitana de Porto Alegre

Marinha montou base de operações na região das ilhas de Porto Alegre para auxiliar rapidamente a população
Caso Marielle: defesas pedem ao STF rejeição de denúncia e atacam falta de provas e delação inválida

Caso Marielle: defesas pedem ao STF rejeição de denúncia e atacam falta de provas e delação inválida

Ministros da 1ª Turma decidem na terça (18) se irmãos Brazão, delegado do Rio e dois ligados à milícia do Rio sentam no banco dos réus como mandantes do crime
Publicidade
Publicidade