Publicidade

"Cenário é de guerra", diz secretário sobre território Yanomami

Equipes de saúde trabalham para restaurar bem-estar da comunidade indígena

"Cenário é de guerra", diz secretário sobre território Yanomami
O governo estima que mais de 500 crianças morreram por fome, desnutrição e contaminação pelo mercúrio, deixado devido ao garimpo, em 2022 | Reprodução/Instagram urihiyanomami
Publicidade

O secretário de Saúde Indígena, Ricardo Weibe Tapeba, afirmou, nesta 3ª feira (24.jan), que o cenário no território Yanomami, em Roraima, é de guerra. Segundo ele, as equipes de saúde no local estão desenvolvendo um relatório para entregar ao Ministério da Saúde, contendo ações efetivas para restaurar o bem-estar da comunidade. 

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Entre as medidas já propostas estão o aumento da infraestrutura de saúde na região, o reforço de médicos e a recuperação do esquema de vacinação entre a população. Hoje, por exemplo, foi iniciada a construção de um hospital de campanha em Boa Vista, onde devem ser recebidos 700 pacientes indígenas que estão em casas de apoio.

"Esse instrumento é importante para permitir que o governo federal adote estratégias mais emergenciais, como a compra de insumos, aquisição de medicamentos e materiais, além de aperfeiçoar o atendimento da saúde indígena", disse Tapeba, acrescentando que, até o momento, mais de 1 mil yanomamis foram resgatados de situações graves.

Além do relatório, as equipes da saúde irão trabalhar com policiais federais para investigar possíveis irregularidades em contratos antigos de medicamentos e insumos destinados ao território Yanomami, bem como o número real de mortes por desnutrição e descuidos. Acredita-se que houve uma "grande subnotificação" dos óbitos.

Tapeba comentou ainda sobre a cooperação dos Ministérios da Saúde e dos Povos Indígenas, que irão continuar focando na exoneração de coordenadores regionais de postos de saúde indígenas. Na 2ª feira (23.jan), 11 responsáveis foram demitidos, incluindo Márcio Sidney Sousa Cavalcante, coordenador da região leste de Roraima.

"Vamos analisar as indicações que chegaram aqui para o distrito. Mas o que eu posso dizer é que sozinho o próximo coordenador não conseguirá fazer a intervenção que nós queremos", disse o secretário. Ele ressaltou a importância de retirar os mais de 20 mil garimpeiros do território Yanomami, uma vez que as ações colocam em risco a segurança dos indígenas.

A situação de crise humanitária vivida pela população indígena Yanomami foi revelada no último fim de semana, durante visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a Roraima. O governo estima que mais de 500 crianças morreram por fome, desnutrição e contaminação pelo mercúrio, deixado devido ao garimpo, em 2022. 

Em meio ao cenário, mais de 19 mil profissionais de saúde se cadastraram no banco de voluntários do Sistema Único de Saúde (SUS) para prestar atendimento na região. O caso também resultou na abertura de um inquérito na Polícia Federal, que irá apurar eventual cometimento de crime de genocídio, delitos ambientais e omissão de socorro aos yanomamis nos últimos anos. 

Em nota, o Conselho indígena de Roraima (CIR) disse que enviou, nos últimos anos, inúmeros ofícios e denúncias para órgãos públicos devido à situação no local, mas que todos foram ignorados.

+ Crise dos yanomamis é resultado de omissão do Estado brasileiro, diz MPF

"Já não sabemos mais quantas crianças foram mortas, quantas mulheres foram vítimas de violência. Porque todos os dias recebemos notícias de que crianças morreram. Por isso requeremos investigação com profundidade: o Governo Bolsonaro praticou crime de genocídio contra os povos indígenas Yanomami", afirmou.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

sbt
sbtnews
portalnews
governo
cenario
guerra
secretario de saude
yanomamis
território yanomami
roraima
açoes emergenciais
saude
desnutriçao
mortes
camila-stucaluc

Últimas notícias

Fóssil de dinossauro com mais de 233 milhões de anos é encontrado no RS

Fóssil de dinossauro com mais de 233 milhões de anos é encontrado no RS

Ossada foi achada parcialmente exposta após enchente em São João do Polêsine, no Rio Grande do Sul
Em protesto contra o uso de IA, Disney sofre ataque hacker e dados são vazados

Em protesto contra o uso de IA, Disney sofre ataque hacker e dados são vazados

Ação foi manifestação contra arte produzida com inteligência artificial na empresa; informações foram roubadas
MDB x PT nas eleições: Lula não cobra de estarmos contra candidato do nosso partido, diz Jader Filho

MDB x PT nas eleições: Lula não cobra de estarmos contra candidato do nosso partido, diz Jader Filho

Ministro das Cidades defende pragmatismo em campanhas municipais e disse que não estará "em palanque de alguém que faça oposição radical a Lula"
Meta retira restrições das redes sociais de Trump

Meta retira restrições das redes sociais de Trump

Em 2023, os perfis do republicano foram restabelecidos no Instagram e no Facebook
Lula defende regulação das redes sociais e diz que big techs ganham dinheiro com mentiras

Lula defende regulação das redes sociais e diz que big techs ganham dinheiro com mentiras

Com o PL das fake news travado, presidente disse que governo pode enviar ao Congresso outro projeto para regular a atuação de big techs
Google pode comprar startup de cibersegurança por R$ 124 bilhões

Google pode comprar startup de cibersegurança por R$ 124 bilhões

Aquisição da Wiz pode ser a maior aquisição da história da empresa de tecnologia, segundo jornal Wall Street Journal
Turista que estava na Bahia pode ter morrido por picada de aranha-marrom

Turista que estava na Bahia pode ter morrido por picada de aranha-marrom

Suspeita é que jornalista paulista tenha sido picado em restaurante
Astros de "Wolverine" e "Deadpool" estão no Rio de Janeiro

Astros de "Wolverine" e "Deadpool" estão no Rio de Janeiro

Chegada do elenco faz parte da divulgação de novo filme
PF mira extração ilegal de madeira em terra indígena no Maranhão e investiga envolvimento de povos originários

PF mira extração ilegal de madeira em terra indígena no Maranhão e investiga envolvimento de povos originários

Um indígena da TI Geralda/Toco Preta foi preso; um dos alvos de mandado de prisão está foragido
Minha Casa, Minha Vida: meta de 2 milhões de unidades até 2026 será superada, diz Jader Filho

Minha Casa, Minha Vida: meta de 2 milhões de unidades até 2026 será superada, diz Jader Filho

Ministro das Cidades informou que edital para escolha de famílias do Rio Grande do Sul que vão receber casas novas deve ser finalizado na próxima semana
Publicidade
Publicidade