Publicidade

Conferência Eleitoral do PT tem discursos, carta pela "desbolsonarização do governo" e bandeira da Palestina

Evento começou nesta 6ª feira (8.dez) em Brasília; Lula prometeu ser "um bom cabo eleitoral" nas eleições de 2024

Conferência Eleitoral do PT tem discursos, carta pela "desbolsonarização do governo" e bandeira da Palestina
Publicidade

O primeiro dia da Conferência Eleitoral PT 2024, que ocorre nestes 8 e 9 de dezembro, reuniu militantes de várias cidades brasileiras, dirigentes da sigla, lideranças e pré-candidatos a vereador e prefeito no pleito do próximo ano, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. O ato político de abertura do evento contou com discursos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), da presidente nacional da sigla, Gleisi Hoffmann, do presidente da Fundação Perseu Abramo -- braço acadêmico do partido --, Paulo Okamotto, e da secretária nacional de finanças e planejamento da legenda, Gleide Andrade.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Todos falaram para um auditório praticamente lotado. No público, havia jovens, adultos e idosos. Muitas pessoas vestiam camiseta vermelha, cor do PT. Pessoas carregando bandeira do partido estavam por todos os lados.

No palco, além dos que discursaram, encontravam-se o vice-presidente da República, Geraldo Alckmin (PSB); ministros do governo Lula, como Anielle Franco, da Igualdade Racial, Camilo Santana, da Educação, e Fernando Haddad, da Economia; governadores, como Jerônimo Rodrigues, da Bahia, Fátima Bezerra, do Rio Grande do Norte, e Elmano de Freitas, do Ceará; e parlamentares, entre os quais os senadores Augusta Brito (PT-CE), Humberto Costa (PE) -- coordenador do Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE) do Partido dos Trabalhadores -- e Jaques Wagner (PT-BA), líder do governo no Congresso, e os deputados Zeca Dirceu, líder do PT na Câmara, José Guimarães (PT-CE), líder do governo na Câmara, e Rogério Correia (MG), pré-candidato petista à prefeitura de Belo Horizonte.

Antes da chegada de Lula, do palco, um trio de músicos animou o ambiente com canções como Para Não Dizer que Não Falei das Flores, de Geraldo Vandré, Apesar de Você, de Chico Buarque, e a italiana Bella Ciao. Quando a primeira teve início, várias pessoas do público passaram a balançar no alto as bandeiras que carregavam. Até mesmo uma bandeira da Palestina pôde ser vista sendo balançada por uma mulher. Próximo a ela, havia um homem trajando uma camiseta com a escrita "Free Palestine" (Palestina Livre) estampada.

Mulher balança bandeira da Palestina (Guilherme Resck/SBT News)

Militantes balançando bandeiras do PT (Guilherme Resck/SBT News)

Quando o presidente da República chegou, apoiadores entoaram "Lula, guerreiro do povo brasileiro" e "olê, olê, olá, Lula, Lula" - que voltaram a ser entoados mais tarde quando o petista foi chamado para discusar. "Lula, guerreiro do povo brasileiro" ainda foi entoado num momento de seu discurso, quando falava sobre o período em que ficou preso em Curitiba.

Após o chefe do Executivo federal se acomodar no palco, o Hino Nacional brasileiro foi interpretado pelo trio de músicos, em forma de ciranda. Assim, os presentes no auditório foram convidados a darem as mãos.

Em seu discurso, Lula disse acreditar que as eleições municipais de 2024 terão, como no pleito do ano passado, um embate seu com Jair Bolsonaro (PL). O petista prometeu que será "um bom cabo eleitoral".

Mais de 5 mil pessoas se inscreveram para participar da Conferência Eleitoral PT 2024, que leva o nome de Marco Aurélio Garcia, em homenagem ao falecido petista que foi assessor especial da Presidência da República para assuntos internacionais nos governos Lula e Dilma Rousseff. Ele faleceu 20 de julho de 2017, aos 76 anos, em decorrência de um infarto. No ato político de abertura da Conferência, no auditório, também após a chegada de Lula, foi exibido um vídeo relembrando a trajetória de Marco Aurélio.

O ato político foi feito no Auditório Master do centro de convenções, que possui mais de 2.800 poltronas. Para acessar o espaço, o público precisava passar por detector de metais. Seguranças também estavam de prontidão para revistar pertences.

"Desbolsonarização do governo"

O Núcleo de Base Cidadania do PT do Distrito Federal aproveitou o primeiro dia do evento para distribuir a militantes da sigla uma "carta aberta ao presidente Lula" em defesa da "desbolsonarização do governo". O texto, escrito em 7 de dezembro, diz que "é preciso consciência que a complacência ou a pactuação mínima com quem se identifica ou se organiza como 'bolsonarista'" e se mantém no governo Lula "põe em risco principalmente a vitória da classe trabalhadora". "Os infiltrados em nosso projeto de retomada do país lutarão diariamente para sabotar e desequilibrar o governo, nossos dirigentes e militância que se sacrificaram heroicamente pela defesa da narrativa de Vossa Excelência", acrescenta.

Carta aberta distribuída (Guilherme Resck/SBT News)

Confira outras fotos referentes ao evento:

Cartão distribuído no evento (Guilherme Resck/SBT News)
Cartão distribuído no evento traz QR Code para pré-candidatos nas eleições de 2024 e gestores/lideranças municipais acessarem site em que poderão se informar sobre as ações e realizações governo Lula | Guilherme Resck/SBT News

Lula de papelão (Guilherme Resck/SBT News)

Veja também:

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
eleicoes
política
conferência eleitoral
pt
brasília
militantes
lula
discursos
bandeiras
palestina
carta aberta
homenagem
hino
música
noticias
guilherme-resck

Últimas notícias

Pai acusa creche de omissão após bebê voltar para casa com marcas de mordida no Rio

Pai acusa creche de omissão após bebê voltar para casa com marcas de mordida no Rio

Ele afirma que a menina foi mordida e machucada por pelo menos dois colegas e monitora não prestou socorro
Aliados de Bolsonaro chamam ato na Paulista de “momento histórico”; Base de Lula avalia como afronta à democracia

Aliados de Bolsonaro chamam ato na Paulista de “momento histórico”; Base de Lula avalia como afronta à democracia

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann fez duras críticas ao ex-presidente; já Coronel Telhada chamou Bolsonaro de estadista
Convidados jogam lixo em modelos durante desfile da marca Avavav, em Milão

Convidados jogam lixo em modelos durante desfile da marca Avavav, em Milão

Diretora criativa Beate Karlsson convocou a plateia para jogar papel, copos, latas, plástico, café, suco e até comida na passarela durante a apresentação da nova coleção
Navalny estava prestes a ser libertado em troca de prisioneiros, diz aliada

Navalny estava prestes a ser libertado em troca de prisioneiros, diz aliada

Negociações estavam em fase final um dia antes do opositor russo ser encontrado morto na prisão
Investidores apostam em robôs semelhantes aos humanos; entenda

Investidores apostam em robôs semelhantes aos humanos; entenda

Formada por ex-engenheiros do Google, Figure AI quer robôs que realizem tarefas perigosas, tediosas ou complexas para humanos
Integrante da Força Aérea americana ateia fogo ao corpo em frente embaixada de Israel

Integrante da Força Aérea americana ateia fogo ao corpo em frente embaixada de Israel

Ato foi realizado para criticar ataques israelenses na Faixa de Gaza; homem foi levado ao hospital
Ministro Fernando Haddad, da Fazenda, testa positivo para covid-19

Ministro Fernando Haddad, da Fazenda, testa positivo para covid-19

De acordo com a pasta, ele vai cumprir agenda de forma virtual, o que inclui participação no G20
Ato de Bolsonaro na Paulista reuniu 600 mil, diz SSP; levantamento da USP fala em 185 mil

Ato de Bolsonaro na Paulista reuniu 600 mil, diz SSP; levantamento da USP fala em 185 mil

Secretário de Segurança apontou presença de 750 mil pessoas na manifestação, contando ruas adjacentes
Caso Édson Davi: família faz protesto no dia em que criança completa 7 anos

Caso Édson Davi: família faz protesto no dia em que criança completa 7 anos

Familiares cobram respostas sobre o paradeiro do menino, que desapareceu no início de janeiro no Posto 4 da praia da Barra, no Rio de Janeiro
Primeiro-ministro da Palestina apresenta pedido de renúncia

Primeiro-ministro da Palestina apresenta pedido de renúncia

Mohammad Shtayyeh disse que é preciso que a próxima fase tenha em conta a “nova realidade da Faixa de Gaza”
Publicidade
Publicidade