Publicidade

TSE: entenda o caso de "censura" e veja análises de especialistas

Emissora foi punida por "divulgação de ofensas e fatos inverídicos" contra Lula

TSE: entenda o caso de "censura" e veja análises de especialistas
Publicidade

Após abertura de investigação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra a Jovem Pan, a Corte proferiu, na última 2ª feira (17.out), três decisões punindo a emissora por "divulgação de ofensas e fatos sabidamente inverídicos" contra o candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). 

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Três direitos de resposta foram concedidos ao ex-presidente. O TSE investiga a emissora por suposto privilégio na cobertura das eleições concedido a Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição e principal adversário de Lula. Em resposta, o veículo de comunicação tratou a decisão como "censura" em editorial. Foi divulgada ainda uma nota interna na qual fica proibido que seus comentaristas usem termos como "descondenado" e "chefe de organização criminosa" para se referir ao petista.

Para o ministro Alexandre de Moraes, presidente do TSE, "é evidente a veiculação de informação inverídica tendente a desinformar a população acerca do desfecho dos processos criminais envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva".

"Todas as pessoas são inocentes até que juiz competente e isento análise eventuais acusações, pondere provas e decida por sua culpa. Assim, como não há se falar, na espécie, em dúvida quanto à anulação das condenações contra o representante, há fato sabidamente inverídico a ser combatido e contra o qual cabe direito de resposta", destacou o magistrado.  

Assim, além dos direitos de resposta concedidos a Lula, a Corte eleitoral determinou pagamento de multa de R$ 25 mil em caso de novos comentários considerados ofensivos por parte da emissora. 

Para a advogada especialista Samara Castro, da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (Abradep), as decisões do TSE estão dentro do que é de competência jurisdicional da Corte. "A Jovem Pan tem atuado em desconsideração às finalidades da imprensa e sobretudo às normas eleitorais, travestindo opiniões e propaganda eleitoral como fatos e informação", diz.

"Não há que se falar em censura uma vez que, o que a decisão busca é tão somente garantir a paridade de armas do processo eleitoral e o cumprimento dos limites legais da atuação das empresas de comunicação", destaca. 

De acordo com professor Marcos Rogério, especialista em Direito Eleitoral, a decisão do TSE é legítima do ponto de vista jurídico. Ele explica que comunicadores têm absoluta liberdade para desenvolver as próprias opiniões, mas, quando no exercício da profissão, não podem valer-se de informações falsas. "Isso é um abuso da liberdade de expressão e todo abuso precisa ser contido", afirma. 

"O TSE sempre tomou decisões relacionadas à retirada de conteúdos falsos, panfletos apócrifos e desinformações. Os veículos todos seguiram as decisões porque os juízes têm responsabilidade quando dizem que algo é mentiroso. [...] O tribunal assegura plenamente a liberdade de expressão em inúmeros sucessivos julgados. E não seria nesse caso que o judiciário brasileiro violaria a sua própria jurisprudência. O que acontece na verdade é que o TSE insiste em coibir aquelas pessoas que agem em afronta à Constituição. No caso da emissora, ela tem divulgado insistentemente informação sabidamente falsa já reconhecida pelo plenário do tribunal", ressalta o jurista. 

No entanto, para o desembargador eleitoral Jackson Di Domenico, a censura ocorre quando se extrapolam os limites da liberdade de expressão e, nesse caso, a decisão do TSE foi além desses limites. "Uma coisa são as fake news, que devem ser limitadas e combatidas, outra coisa é a opinião. E, na minha opinião, a liberdade de expressão não pode ser censurada. Se as opiniões do jornalista ou do cidadão são contrárias à vontade das pessoas, elas precisam ser manifestadas ainda que não concordemos com elas", diz.

Por isso, ele explica, uma vez que a decisão extrapola os limites ou privações das liberdades, pode ser considerada censura. 

"Em resumo, a liberdade de expressão é um direito constitucional que deve ser assegurado e essa é a grande diferença de um país democrático para um país ditatorial", destaca Di Domenico.

Liberdade de expressão x Equilíbrio editorial

Segundo o professor da Universidade de Brasília (UnB) e pesquisador em comunicação, Wladimir Gramacho, a liberdade de expressão é um direito fundamental,  mas não incondicional. "Por exemplo, essa liberdade não deve ser invocada para a manifestação de racismo, de sexismo ou de homofobia. No contexto de uma eleição, a liberdade de expressão não pode ser utilizada para desinformar a população ou para desequilibrar a disputa eleitoral. A decisão do TSE me parece não só acertada como serve de alerta a todos os limites da liberdade de expressão", ressalta. 

"Os jornais têm maior liberdade de expressão pois o exercício da imprensa é livre, ou seja, não está sujeito a concessão estatal. Nesse sentido, cabe às leitoras escolherem que jornal querem comprar ou assinar, assim como escolhem que site de notícias preferem ler. O controle não é estatal, mas da cidadania", acrescenta.

Para Gramacho, a participação do TSE nesse processo é devida, uma vez que o caso tem impacto nacional. Além disso, pela campanha estar na reta final, ele ressalta, a atuação da Corte é fundamental, pois trata-se da última instância. "Do ponto de vista do processo eleitoral, o mais importante nesse momento é a manifestação do TSE, porque já fica claro qual é a posição final da Justiça sobre esse tema", arremata.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
jovem pan
tse
alexandre de moraes
decisão
censura
tribunal superior eleitoral
eleições
advogado eleitoral

Últimas notícias

Uma em cada oito crianças no mundo sofre com obesidade

Uma em cada oito crianças no mundo sofre com obesidade

Além dos obesos, a pesquisa constatou que 43% dos adultos do mundo estão com sobrepeso
Mosquito da dengue oferece risco também a cachorros e gatos

Mosquito da dengue oferece risco também a cachorros e gatos

Aedes aegypti pode transmitir aos pets doença conhecida como 'verme do coração'; conheça sintomas e tratamento
José Dirceu deve ter alta hospitalar neste sábado

José Dirceu deve ter alta hospitalar neste sábado

Político está internado desde o dia 25 de fevereiro por causa de uma pneumonia
Brasil volta a ser top 10 das maiores economias do mundo com PIB de 2023

Brasil volta a ser top 10 das maiores economias do mundo com PIB de 2023

País ocupa atualmente a 9ª colocação, à frente de Canadá, Rússia e Austrália. Confira lista
Militares que metralharam família no RJ podem ter penas reduzidas de 30 para 3 anos

Militares que metralharam família no RJ podem ter penas reduzidas de 30 para 3 anos

Dois ministros do STM consideraram homicídio culposo a ação do Exército que teve 257 tiros de fuzil e resultou em duas mortes
Mistura de biodiesel no diesel sobe para 14% a partir desta sexta

Mistura de biodiesel no diesel sobe para 14% a partir desta sexta

Combinação evita a emissão de 5 milhões de toneladas de gás carbônico na atmosfera
Aumento de casos de doenças como a dengue deve causar impacto de até R$ 20 bilhões no PIB

Aumento de casos de doenças como a dengue deve causar impacto de até R$ 20 bilhões no PIB

País pode fechar o ano com mais de quatro milhões de infectados por arboviroses
Belo Horizonte inaugura hospital de campanha para atendimento de pacientes com dengue

Belo Horizonte inaugura hospital de campanha para atendimento de pacientes com dengue

Minas Gerais é o estado com o maior número de casos prováveis da doença
Polícia prende 23 pessoas que aplicavam golpes em comerciantes de sete estados

Polícia prende 23 pessoas que aplicavam golpes em comerciantes de sete estados

"Central de telemarketing do crime" funcionava em São Paulo; idosos eram vítimas preferidas
Associações médicas do Brasil vão enviar manifesto sobre péssima qualidade do ar para Marina Silva e Conama

Associações médicas do Brasil vão enviar manifesto sobre péssima qualidade do ar para Marina Silva e Conama

No Brasil, a poluição atmosférica mata mais de 50 mil pessoas por ano, eleva o número de internações hospitalares e gera custos ao sistema público de saúde, diz pesquisa
Publicidade
Publicidade