Publicidade

Lula faz comício na Baixada Fluminense mirando reverter desvantagem na região

No 1º turno, o petista perdeu nos 13 municípios da área, que tem cerca de 2,8 milhões de eleitores

Lula faz comício na Baixada Fluminense mirando reverter desvantagem na região
Lula e apoiadora
Publicidade

O candidato à Presidência pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), cumpriu agenda nesta 3ª feira (11.out) em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro. O petista tenta reverter a vantagem que o adversário Jair Bolsonaro (PL) alcançou no primeiro turno das eleições. O presidente que tenta a reeleição venceu nos 13 municípios da região, que conta com cerca de 2,8 milhões de eleitores. De olho na Baixada, que pode ser o fiel da balança no segundo turno do Rio de Janeiro, Lula participou de uma caminhada pelo bairro Areia Branca no fim da tarde. Em seguida, fez comício em um clube no bairro de Heliópolis.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Ao longo da caminhada em carro aberto, antes de subir ao palaque, o petista discursou aos apoiadores. Voltou a repetir que pretende retomar o Minha Casa Minha Vida e incentivar a indústria naval fluminense. O ex-presidente afirmou ainda que pretende investir em programas de inclusão social e no setor cultural.

"Vocês se lembram que o Rio de Janeiro gerava emprego, recuperou os estaleiros, teve mais universidades, escolas técnicas. Vamos voltar o Minha Casa Minha Vida para o povo mais humilde. Investir na indústria naval para a geração de empregos para o povo do Rio de Janeiro", disse Lula. 

O candidato prometeu investimentos e parceria com os governos locais. "Vamos tratar as cidades como parceiras. Não é possível o Brasil estar bem se a cidade não está bem. Os prefeitos têm que ser muito respeitados. É com o prefeito que a gente tem que trabalhar", afirmou.

Novo tom

Lula mudou o tom da campanha, acatando uma sugestão da recente aliada Simone Tebet (MDB). O presidenciável, a esposa Rosângela da Silva, a Janja, e os apoiadores que estavam na linha de frente da campanha, deixaram o vermelho de lado e usaram camisetas brancas. A medida foi para tentar conter a rejeição associada ao partido.

Militantes que acompanharam a caminhada exibiam as tradicionais bandeiras e camisetas vermelhas, mas todos no carro optaram pelo branco. 

Desde a caminhada ao palanque, Lula contou com nomes de peso. Esteve ao lado de lideranças políticas do estado, como o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD); o deputado e presidente da Assembleia Legislativa do Estado (Alerj), André Ceciliano (PT); e o prefeito de Belford Roxo, Waguinho (União Brasil), que também é presidente estadual da legenda no Rio. Waguinho e a mulher, Daniela do Waguinho (União) -- a deputada federal mais votada no RJ nas eleições deste ano -- foram os anfitriões do ato político. 

Religião e voto

Waguinho, que é evangélico, foi o responsável por fazer a ponte entre Lula e líderes religiosos do Rio. O político que comanda uma das principais cidades da Baixada Fluminense, antes de declarar apoio a Lula, chegou a conversar com Jair Bolsonaro (PL), em Brasília. Após ter se pocisionado como aliado do petista, o prefeito de Belford Roxo afirmou que tem recebido ameaças, mas ainda assim subiu ao palco para pedir votos ao ex-presidente.

"Vamos derrotar o governo ditador que está no Brasil e trazer de volta a democracia. O direito a cada um de escolher a religião que quer. O direito a cada um de escolher a orientação sexual que quer", disse, ovacionado pelos presentes no comício.

O prefeito cobrou um estado laico e condenou a exploração da fé na campanha do candidato adversário. Chamou atenção para o que classificou de "lavagem cerebral que estão tentando fazer na cabeça dos evangélicos". 

"Nós não devemos misturar a questão religiosa que eles estão querendo fazer uma confusão na cabeça dos evangélicos. Nós não podemos misturar a questão religiosa com a governabilidade, não. Temos que cumprir tudo o que a Constituição determina para levar a dignidade humana aos brasileiros", afirmou Waguinho. 

"Nosso estado é laico, a política não está aqui para discutir religião. A politica foi feita para cumprir o que está nas nossas leis e levar dignidade a todos os cidadãos da nossa nação", acrescentou o político. 

Ao lado de Janja, no palco, Lula discursa e agradece apoio à Waguinho e a esposa dele, Daniela | Reprodução

Em resposta ao aliado, Lula discursou defendendo o amor, a união e a democracia. Chamou atenção para o diálogo e o fortalecimento de programas sociais. Repetiu que vai construir novas moradias populares e alfinetou Bolsonaro.

"No meu tempo, só na cidade do Rio de Janeiro, nós contratamos 83 mil casas, no tempo de Eduardo Paes. Ele inventou uma tal de Casa Verde e Amarela. Quem é que já viu? Eu vou voltar a fazer o Minha Casa Minha Vida e vocês podem pintar da cor que vocês quiserem. Eu desafio alguém que vai votar no Bolsonaro a encontrar pelo menos um tijolo que ele colocou nesta cidade", afirmou Lula.

De olho nos votos do terceiro colégio eleitoral do país, o petista exaltou os programas de governo que beneficiaram o estado do Rio de Janeiro. Levantou números nas áreas da saúde, infraestrutura, educação e moradia. 

"Não é possível a gente governar com a inteligência da cabeça, é preciso a gente colocar o sentimento e a inteligência do nosso coração para poder aprender a tratar das pessoas mais humildes, mais necessitadas, das pessoas que não tiveram oportunidade. Esse país precisa de amor e não de ódio, precisa de emprego e não de sofrimento."

Em aceno aos evangélicos, Lula repetiu os feitos de seu governo em defesa da liberdade religiosa e cobrou postura de seus adversários -- chamados de mentirosos.

"E para os menirosos que utilizam Deus para contar mentira, eles estão comentendo um pecado, porque eles sabem que quem regulamentou a liberdade de religião fui eu em 2003. Eles sabem que quem criou o dia da Marcha para Jesus fui eu. Então não minta porque Deus está vendo", disparou o petista.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
eleições
belford roxo
waguinho
baixada fluminense
luiz inácio lula da silva
lula
pt

Últimas notícias

Debate, troca de nomes e saúde: o que levou Biden a desistir das eleições nos EUA

Debate, troca de nomes e saúde: o que levou Biden a desistir das eleições nos EUA

Desempenho em pesquisas e situações ‘confusas’ pressionaram para que presidente deixasse tentativa de reeleição; entenda
Kamala Harris se diz “honrada” com apoio de Biden “para derrotar Trump”

Kamala Harris se diz “honrada” com apoio de Biden “para derrotar Trump”

Atual vice-presidente dos Estados Unidos depende do sinal verde do partido Democrata para assumir candidatura principal
Bill Clinton anuncia apoio a Kamala Harris após desistência de Biden

Bill Clinton anuncia apoio a Kamala Harris após desistência de Biden

O ex-presidente dos Estados Unidos afirmou que o país já viveu muitos altos e baixos, "mas nada o preocupa mais do que a ameaça de mais um mandato de Trump"
Conheça cotados para substituir Biden na corrida eleitoral dos EUA

Conheça cotados para substituir Biden na corrida eleitoral dos EUA

Com desistência por reeleição, partido democrata escolherá novo representante. Kamala Harris e governadores estão entre cotados
Obama se pronuncia sobre desistência de Joe Biden e não menciona Kamala Harris

Obama se pronuncia sobre desistência de Joe Biden e não menciona Kamala Harris

Ex-presidente dos Estados Unidos elogiou Biden, mas advertiu que decisão deixa os democratas em "águas desconhecidas"
Após incentivar desistência de Joe Biden, ex-presidente da Câmara elogia decisão do atual presidente

Após incentivar desistência de Joe Biden, ex-presidente da Câmara elogia decisão do atual presidente

Para Nancy Pelosi, Biden é um patriota que “sempre colocou” os Estados Unidos em primeiro lugar
Boletim médico revela melhora de Biden em meio a desistência do presidente à reeleição

Boletim médico revela melhora de Biden em meio a desistência do presidente à reeleição

Líder democrata continua desempenhando todas as funções presidenciais, segundo comunicado divulgado neste domingo (21)
“É o interesse do meu partido e do país que eu me afaste”: leia a carta de desistência de Biden

“É o interesse do meu partido e do país que eu me afaste”: leia a carta de desistência de Biden

Presidente dos Estados Unidos abriu mão da disputa eleitoral e apoiou que a disputa fique com Kamala Harris, atual vice
Presidente da Câmara dos EUA pede que Joe Biden renuncie ao cargo

Presidente da Câmara dos EUA pede que Joe Biden renuncie ao cargo

Líder democrata desistiu da candidatura à reeleição
Trump diz ser "mais fácil" derrotar Kamala Harris após Biden desistir

Trump diz ser "mais fácil" derrotar Kamala Harris após Biden desistir

Candidato à presidência dos Estados Unidos comentou saída de democrata em entrevista a canal americano
Publicidade
Publicidade