Publicidade

Braga defende tributária e sinaliza mudança ao fundo do desenvolvimento regional

Após ouvir governadores, relator citou formato de Conselho Federativo e amadurecimento do texto no Senado

Braga defende tributária e sinaliza mudança ao fundo do desenvolvimento regional
plenário senado
Publicidade

Depois de um evento com a grande maioria dos governadores no país, o relator da reforma tributária, senador Eduardo Braga (MDB-AM), sinalizou que o texto poderá passar por mudanças no Fundo do Desenvolvimento Regional e no formato do Conselho Federativo na construção do texto no Senado.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

As demandas foram as mais recorrentes apresentadas por governadores ao longo desta 3ª feira (29.ago), em questionamentos a respeito de repasses a estados, além de decisões que possam vir a ser tomadas por entes federativos.

Entre as indicações, Braga afirmou que o valor definido ao Fundo - de R$ 40 bilhões - é considerado baixo por governadores, e que a demanda deve ser levada em consideração pelo governo federal. O senador também citou que o formato a ser definido para o Conselho Federativo deve contar com garantias para estados e municípios.

Mesmo com os acenos, Braga marcou posição em defesa da reforma, e disse que o texto pode possibilitar benefícios a determinados setores, com foco no desenvolvimento econômico e geração de emprego. 

"Ouvindo, audiências, estados, municípios, setor produtivo, a gente possa construir um texto que represente as expectativas de um texto que quer crescer, gerar emprego, com justiça social, desenvolvimento econômico e de forma sustentável às futuras gerações", declarou Braga.

Demanda de governadores

Dezenove governadores, ou vice-governadores que representaram os estados, foram ao Senado nesta 3ª feira e apresentaram perspectivas locais referentes à reforma tributária. Entre os questionamentos estiveram autonomia federativa e a distribuição do Fundo de Desenvolvimento Regional, que será financiado com recursos da União, e reajustados anualmente. A expectativa é de R$ 40 bi por ano até 2033. Estados divergem a respeito do fundo, como o Rio Grande do Sul - que defende a continuidade de repasses pelo ICMS.

Outro ponto questionado é a de que estados tenham voz proporcional no Conselho Federativo - estados divergem da modalidade de votos funcionar por população ou por regiões, e querem alternativas para que cada unidade da federação tenha votos com mais peso.

Pacheco: "Todos têm que ceder"

No início do encontro, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou que a reforma tributária não chegará a um consenso, e que precisa contar com o apoio para um caminho intermediário entre estados e setores envolvidos.

"Todos queremos um sistema tributário mais unificado, mais transparente, mais claro. Para que cheguemos a esse objetivo, União, estados, municípios - grandes ou pequenos -, o setor de serviços, o setor do agronegócio, o setor da indústria ou do comércio, os profissionais liberais, as profissões regulamentadas, precisam todos estar munidos desse sentimento de que é necessário ceder em algum ponto", declarou.

A expectativa do Senado é de votar o texto até o mês de outubro, para que haja tempo de que a proposta volte à Câmara e seja finalizada até o fim do ano.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
congresso
reforma tributária
reforma
lis cappi
mudanças eocnômicas
mudanças

Últimas notícias

PEC das drogas: entenda o que muda com a proposta e quais próximos passos no Congresso

PEC das drogas: entenda o que muda com a proposta e quais próximos passos no Congresso

Proposta que reforça Lei de Drogas foi aprovada na CCJ da Câmara e segue para comissão especial; enquanto isso, julgamento do STF pode ser retomado
Cantor sertanejo descobre tumor cerebral e cancela shows

Cantor sertanejo descobre tumor cerebral e cancela shows

Augusto, da dupla com Rafael, fará cirurgia nos próximos dias
Leilão de arroz, alta do dólar, ministro indiciado, MP devolvida: entenda semana tensa do governo Lula

Leilão de arroz, alta do dólar, ministro indiciado, MP devolvida: entenda semana tensa do governo Lula

Executivo ainda sofreu com avanço de pautas conservadoras no Congresso, alta do dólar e da inflação e saída de secretário do Ministério da Agricultura
Gestante que se jogou de prédio: diarista recebeu proposta sexual do mesmo homem

Gestante que se jogou de prédio: diarista recebeu proposta sexual do mesmo homem

Igor Campos está preso após as agressões cometidas no último domingo (08)
Policial penal de folga agride mulher e é preso em Goiás

Policial penal de folga agride mulher e é preso em Goiás

No dia seguinte, agressor foi trabalhar normalmente depois do crime; outro homem também participou da violência
Família denuncia hospital por negligência após morte de recém-nascida

Família denuncia hospital por negligência após morte de recém-nascida

Criança nasceu com infecção e, de acordo com os pais, recebeu alta antes do tempo
BeReal, rede social que cresceu entre a Geração Z, foi vendida por R$ 3 bilhões

BeReal, rede social que cresceu entre a Geração Z, foi vendida por R$ 3 bilhões

Rede social chamou a atenção em 2022 por ter a proposta de ser "anti-Instagram", teve queda no número de usuários e foi adquirida por uma produtora de jogos
Comércio cresce 0,9% em abril, diz IBGE

Comércio cresce 0,9% em abril, diz IBGE

Acumulado do ano chegou a 4,9%, enquanto nos últimos 12 meses, somou 2,7%
Tebet: "Não passa pela cabeça desvincular aposentadoria do salário mínimo"; entenda o que está em jogo

Tebet: "Não passa pela cabeça desvincular aposentadoria do salário mínimo"; entenda o que está em jogo

Ministra afirmou que Lula e equipe econômica estudam "modernização" de benefícios vinculados ao Orçamento
Três detentos pulam alambrado e fogem de presídio em Minas Gerais

Três detentos pulam alambrado e fogem de presídio em Minas Gerais

Trio acessou uma área de mata fechada próxima da Penitenciária de Teófilo Otoni
Publicidade
Publicidade