Publicidade

PF intima Guilherme Boulos por mensagem sobre Bolsonaro

Corporação abriu inquérito com base na Lei de Segurança Nacional

PF intima Guilherme Boulos por mensagem sobre Bolsonaro
Publicidade
O ex-candidato à prefeitura de São Paulo Guilherme Boulos (PSOL-SP) foi intimado pela Polícia Federal (PF) a prestar depoimento em um inquérito aberto com base na Lei de Segurança Nacional (LSN), em decorrência de uma mensagem que publicou no Twitter sobre o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

A informação foi confirmada por Boulos, nesta 4ª feira (21 abr.), nas redes sociais. Se referindo ao inquérito, ele escreveu ainda que a "perseguição deste governo não tem limites". Na sequência, concluiu: "Não vão nos intimidar!".
 

Em nota, o político do PSOL e líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que concorreu ao cargo de prefeito da capital paulista em chapa formada com a deputada federal Luiza Erundina (PSOL-SP), afirmou que foi surpreendido pela intimação e que a abertura do inquérito ocorreu a mando do Ministério da Justiça e Seguraça Pública por "supostamente ter cometido um 'crime contra a segurança nacional' ao fazer um comentário sobre Bolsonaro no Twitter há exatamente um ano".

Em 20 de abril de 2020, após o presidente dizer "Eu sou a Constituição" durante um evento, Boulos tuitou: "Um lembrete para Bolsonaro: a dinastia de Luís XIV terminou na guilhotina...".
 
 

O político pontuou que prestará o depoimento na sede da PF em São Paulo, no dia 29 de abril. "Seguirei cada vez mais determinado na oposição a Bolsonaro, fazendo todas as críticas a ele e a seu governo de forma pública e direta", disse também no comunicado divulgado.



Veja a nota de Guilherme Boulos na íntegra:


NOTA PÚBLICA
Sobre a intimação recebida por Guilherme Boulos para depor em inquérito da PF com base na Lei de Segurança Nacional

Fui surpreendido com uma intimação para depor em um inquérito aberto pela Polícia Federal, a mando do Ministério da Justiça, por supostamente ter cometido um "crime contra a segurança nacional" ao fazer um comentário sobre Bolsonaro no Twitter há exatamente um ano.

Tornei-me, assim, mais um dos opositores ao bolsonarismo a ser enquadrado na Lei de Segurança Nacional, este resquício da ditadura que vem servindo ao governo para perseguir e tentar calar aqueles que denunciam suas ações imorais e ilegais.

Chega a ser irônico que eu esteja sendo alvo de um inquérito policial por suspeita de ter ameçado o presidente ao ter feito um comentário rebatendo uma frase proferida por Bolsonaro ("Eu sou a Constituição!") a qual, ela sim, representa uma ameaça às instituições e à ordem constitucional no nosso país. 

Prestarei depoimento na próxima quinta-feira, dia 29, na sede da PF em São Paulo.

Seguirei cada vez mais determinado na oposição a Bolsonaro, fazendo todas as críticas a ele e a seu governo de forma pública e direta. Não vamos aceitar intimidações. Não vão nos calar.

Guilherme Boulos
Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
brasil
guilherme boulos
psol
inquérito
intimação
polícia federal
jair bolsonaro
mensagem
prefeitura
são paulo
twitter

Últimas notícias

FALSO: É falso que Lula tenha inaugurado obra da transposição do São Francisco já inaugurada por Bolsonaro

FALSO: É falso que Lula tenha inaugurado obra da transposição do São Francisco já inaugurada por Bolsonaro

Confira a verificação realizada pelos jornalistas integrantes do Projeto Comprova
Mega-Sena acumula pela oitava vez e prêmio vai a R$ 72 milhões

Mega-Sena acumula pela oitava vez e prêmio vai a R$ 72 milhões

Apostas para o próximo concurso podem ser feitas até as 19h00 de quinta-feira (18)
Greve em universidades: governo espera chegar a acordo com professores na sexta-feira (19)

Greve em universidades: governo espera chegar a acordo com professores na sexta-feira (19)

Categoria reivindica reestruturação de carreira e recomposição salarial
Pagodeiro "proibidão" era "empresário" dos negócios ligados ao PCC, diz MP

Pagodeiro "proibidão" era "empresário" dos negócios ligados ao PCC, diz MP

Latrell Brito usava empresas dele e de laranjas para simular concorrência em contratações de prefeituras alvos da Operação Munditia
Brasil Agora: Lula na Colômbia, PEC antidrogas e cadáver em agência bancária

Brasil Agora: Lula na Colômbia, PEC antidrogas e cadáver em agência bancária

Confira essas e outras notícias que serão destaque nesta quarta-feira (16)
Tribunal define primeiros jurados para julgamento de Trump em NY

Tribunal define primeiros jurados para julgamento de Trump em NY

Ex-presidente dos EUA é acusado de subornar atriz pornô durante período eleitoral; júri será composto por 12 pessoas
Musk x Moraes: STF autoriza depoimentos de representantes do X no Brasil

Musk x Moraes: STF autoriza depoimentos de representantes do X no Brasil

Decisão faz parte do inquérito que investiga empresário por suposta obstrução de Justiça e incitação ao crime
+Milionária sorteia prêmio de R$ 173 milhões nesta quarta-feira (17)

+Milionária sorteia prêmio de R$ 173 milhões nesta quarta-feira (17)

Apostas podem ser feitas até as 19h em casas lotéricas ou pela internet
Zelensky assina lei para aumentar recrutas e preencher linha de frente na Ucrânia

Zelensky assina lei para aumentar recrutas e preencher linha de frente na Ucrânia

Decisão acontece em meio ao aumento da ofensiva russa no país
Senacon notifica Latam após passageiros esperarem 8h por voo

Senacon notifica Latam após passageiros esperarem 8h por voo

Viajantes foram transferidos de um avião para o outro até conseguirem embarcar para Madri
Publicidade
Publicidade