Publicidade

Presidente de Belarus assina lei que lhe dá "imunidade vitalícia"

Considerado o "último ditador da Europa", Alexander Lukashenko também proibiu que líderes da oposição exilados concorram nas próximas eleições

Presidente de Belarus assina lei que lhe dá "imunidade vitalícia"
Publicidade

O presidente de Belarus, Alexander Lukashenko, assinou na 5ª feira (4.jan) uma nova lei que lhe confere imunidade vitalícia contra processos criminais e impede que líderes da oposição exilados concorram em futuras eleições presidenciais.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

A nova medida parece ter como objetivo eliminar potenciais adversários nas próximas eleições presidenciais do país, que deverão ter lugar em 2025, e reforçar ainda mais o poder de Lukashenko, que governa a ex-república soviética há quase 30 anos e é considerado o "último ditador da Europa".

A lei reforça significativamente os requisitos para os candidatos presidenciais e torna impossível eleger líderes da oposição que fugiram para países vizinhos nos últimos anos. Apenas os cidadãos de Belarus que tenham residido permanentemente no país durante pelo menos 20 anos e nunca tenham tido uma autorização de residência em outro país são elegíveis para concorrer.

Protestos em massa abalaram Belarus em agosto de 2020, quando Lukashenko foi reeleito para um sexto mandato, em uma eleição considerada fraudulenta pela oposição e Ocidente. Ao menos 35 mil pessoas foram detidas, muitas das quais foram torturadas sob custódia ou deixaram o país.

O aliado de Putin também é acusado de envolvimento na transferência ilegal de crianças de cidades ocupadas pela Rússia na Ucrânia para Belarus.

O que diz a nova lei

De acordo com o texto da nova lei, Lukashenko, caso deixe o poder, “não poderá ser responsabilizado por ações cometidas no âmbito do exercício dos seus poderes presidenciais”.

A lei também diz que o presidente e os membros de sua família receberão proteção estatal vitalícia, assistência médica, seguro de vida e saúde. Depois de renunciar, o presidente também se tornaria membro permanente e vitalício da Câmara Alta do Parlamento.

Svetlana Tikhanovskaya, líder da oposição que fugiu para a vizinha Lituânia em 2020, após perder a eleição presidencial, disse que a nova lei é a resposta de Lukashenko ao seu “medo de um futuro inevitável”, sugerindo que o "ditador" deve estar preocupado com o que lhe acontecerá quando deixar o poder.

“Lukashenko, que arruinou o destino de milhares de bielorrussos, será punido de acordo com o direito internacional, e nenhuma imunidade o protegerá contra isso, é apenas uma questão de tempo”, disse Tikhanovskaya

* Com informações da Associated Press

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Belarus
Política
Alexander Lukashenko
Presidente
Eleições

Últimas notícias

Produção de cinema na Argentina está praticamente paralisada

Produção de cinema na Argentina está praticamente paralisada

Trabalhadores da área acusam Javier Milei de ter um plano para prejudicar o setor
Divertida Mente 2: saiba tudo sobre o filme que chega aos cinemas na quinta-feira (20)

Divertida Mente 2: saiba tudo sobre o filme que chega aos cinemas na quinta-feira (20)

SBT Brasil visitou os estúdios da Pixar, em Los Angeles, para mostrar como a continuação foi produzida
Verão fora de época preocupa lojistas que contam com a venda de roupas de frio

Verão fora de época preocupa lojistas que contam com a venda de roupas de frio

Último inverno rigoroso que garantiu boas vendas foi em 2022. No ano passado, houve queda de 20%
Pré-candidata a vereadora e filho são mortos a tiros no RJ

Pré-candidata a vereadora e filho são mortos a tiros no RJ

Juliana Silva, conhecida como Nega Juh, foi morta em Nova Iguaçu, na noite deste sábado (15)
Número de acidentes em estradas federais tem aumentado

Número de acidentes em estradas federais tem aumentado

Só no ano passado, foram mais de 65 mil casos, três mil a mais do que em 2022
Novos temporais ameaçam a região metropolitana de Porto Alegre

Novos temporais ameaçam a região metropolitana de Porto Alegre

Marinha montou base de operações na região das ilhas de Porto Alegre para auxiliar rapidamente a população
Caso Marielle: defesas pedem ao STF rejeição de denúncia e atacam falta de provas e delação inválida

Caso Marielle: defesas pedem ao STF rejeição de denúncia e atacam falta de provas e delação inválida

Ministros da 1ª Turma decidem na terça (18) se irmãos Brazão, delegado do Rio e dois ligados à milícia do Rio sentam no banco dos réus como mandantes do crime
PL que cria cadastro nacional de agressores deve ser analisado pelo Senado

PL que cria cadastro nacional de agressores deve ser analisado pelo Senado

Previsão é de que avaliação seja realizada nos próximos dias
Comidas típicas de Festa Junina estão mais caras com inflação

Comidas típicas de Festa Junina estão mais caras com inflação

Levantamento do Instituto de Economia da Fundação Getúlio Vargas, divulgado com exclusividade para o SBT, analisou 27 itens tradicionais juninos
Procedimentos estéticos respondem por mais de 50% das queixas de serviços de saúde

Procedimentos estéticos respondem por mais de 50% das queixas de serviços de saúde

Nos últimos 12 anos, foram registrados cerca de dez mil boletins de ocorrência e processos judiciais motivados pelo crime de exercício ilegal da profissão
Publicidade
Publicidade