Publicidade

Coroação de Charles III: saiba mais sobre as joias usadas na cerimônia

Pedaços da cruz usada para crucificar Jesus Cristo fazem parte da celebração; confira as relíquias

Coroação de Charles III: saiba mais sobre as joias usadas na cerimônia
Publicidade

A coroação do Rei Charles III apresenta relíquias incomuns e as melhores joias já feitas no mundo, que não apenas deslumbram, mas fornecem uma ligação física e simbólica com o passado antigo.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Aqui estão alguns itens que podem ser observados na primeira coroação em mais de 70 anos:

Coroa de St. Edward 

Royal Collection Trust | Divulgação
Royal Collection Trust | Divulgação

A peça usada para coroar Charles III é de ouro maciço, inclui 400 pedras preciosas como rubis e safiras, pesa mais de dois quilos e foi feita em 1661 para a coroação do rei Charles II.

"Não são apenas joias. São algumas das melhores pedras preciosas que vieram de minas hoje extintas", disse à AFP Eddie LeVian, executivo-chefe da joalheria Le Vian. "Elas não tem preço."

Coroa do Estado Imperial

Royal Collection Trust | Divulgação
Royal Collection Trust | Divulgação

A coroa do Estado Imperial foi encomendada para a coroação do rei George VI, em 1937, e contém 2.868 diamantes, 269 pérolas, 17 safiras e 11 esmeraldas.

A segunda maior pedra cortada do diamante Cullinan adorna a frente.

Coroa da Rainha Mary

Royal Collection Trust | Divulgação

A coroa projetada para a coroação da rainha Mary em 1911 será usada para coroar a rainha consorte Camilla, mas sem o controverso diamante Koh-i-Noor que originalmente formava sua peça central.

Em vez disso, a pedra lendária, da qual a Índia reivindica propriedade, será substituída por pedras do diamante Cullinan III, IV e V e da coleção real. Ela ainda é cravejada de 2.200 diamantes.

"(Camilla) escolheu sabiamente ser um exemplo", disse LeVian, cujos ancestrais guardavam o Koh-i-Noor quando ele era propriedade do xá da Pérsia no século 18.

O diamante Cullinan

Royal Collection Trust | Divulgação
Royal Collection Trust | Divulgação

O magnífico Cullinan Diamond é o maior diamante já encontrado, pesando 3.106 quilates. A pedra foi descoberta na atual África do Sul em 1905 e recebeu o nome do presidente da mineradora, Thomas Cullinan.

O governo do Transvaal presenteou o rei Eduardo VII com o diamante em seu 66º aniversário em 1907 como um gesto de reconciliação após a Segunda Guerra dos Bôeres (1899-1902).

Durante um período de oito meses, três polidores trabalharam 14 horas por dia para cortar e polir nove grandes pedras do diamante original, que pesava 621 gramas em seu estado bruto. Também foram criados 97 pequenos brilhantes.

As duas maiores pedras são Cullinan I e Cullinan II. As jóias podem ser encontradas no Cetro do Soberano e na Coroa do Estado Imperial.

Cetro do Soberano com Cruz

Royal Collection Trust | Divulgação

O Cetro do Soberano foi feito para a coroação de Charles II em 1661 e tem sido usado em todas as coroações desde então. O diamante Cullinan I foi incluido no cetro em 1911. Considerado o maior diamante lapidado incolor do mundo, o Cullinan I é tão grande que o cetro teve que ser reforçado para suportar seu peso. 

Cetro dos Soberanos com Pomba

Royal Collection Trust | Divulgação
Royal Collection Trust | Divulgação

Este cetro representa o papel espiritual do soberano, com a pomba simbolizando o Espírito Santo. Tradicionalmente, é conhecida como 'a Vara da Equidade e da Misericórdia'. 

Durante o serviço de coroação, o novo soberano é ungido com óleo sagrado, depois vestido com as túnicas da coroação e, em seguida, investido com vários ornamentos que simbolizam a natureza espiritual da realeza. Estes incluem as esporas, espadas e armillas, seguidos pelo orbe, um anel e os cetros. O soberano é presenteado com dois cetros - um encimado por uma cruz que representa o poder temporal e este, encimado por uma pomba. Após a investidura, o soberano é coroado.

Colher e Ampola da Coroação

Royal Collection Trust | Divulgação

O item mais antigo da Regalia da Coroação é a Colher da Coroação do século XII. Durante a cerimônia de coroação, a colher é usada para ungir o monarca com óleo sagrado.

A ampola ou frasco de ouro contém o óleo sagrado. A cabeça da águia é removível com uma abertura no bico para despejar o óleo na colher.

Orbe do Soberano

Royal Collection Trust | Divulgação

O Orbe do Soberano simboliza o mundo cristão com sua cruz montada em um globo e seus anéis de joias e pérola, que representam os três continentes conhecidos na Europa medieval. Desde os tempos romanos e bizantinos, os orbes também serviram como símbolos do poder imperial.

O orbe de ouro pesa 1,32kg e é montado com esmeraldas, rubis e safiras rodeados por diamantes e pérolas. 

Durante o serviço de coroação, o orbe é colocado na mão direita do monarca. Depois, é colocado no altar-mor antes do momento da coroação.

Cruz de Gales ou Verdadeira Cruz

Vaticano| Divulgação
Vaticano| Divulgação

A cerimônia também contará com uma cruz de prata contendo fragmentos que o Vaticano disse serem da cruz usada para crucificar Jesus Cristo. O Papa Francisco deu de presente os dois pequenos fragmentos da "Verdadeira Cruz".

Eles foram moldados em uma pequena cruz e incorporados ao design geral, visíveis por trás de uma pedra preciosa de cristal rosa.

Vara da Rainha Consorte com Pomba

Royal Collection Trust | Divulgação

Se um soberano é casado no momento de sua coroação, é comum que a rainha consorte seja coroada com ele. A coroação da rainha ocorre em uma curta cerimônia após o rei ter recebido as homenagens da congregação. A rainha consorte recebe alguns dos mesmos ornamentos do marido, incluindo um orbe e dois cetros -- um encimado por uma cruz e este encimado por uma pomba (que representa o Espírito Santo). 

Esporas

Royal Collection Trust | Divulgação

As esporas de ouro foram incluídas pela primeira vez entre os ornamentos da coroação inglesa em 1189, na coroação de Richard I (o Coração de Leão). Eles simbolizavam a cavalaria, e seu uso no ritual de coroação deriva diretamente da cerimônia de criação de um cavaleiro. Essas esporas foram feitas em 1661 para Charles II, mas foram alteradas em 1820 para George IV, quando novos tecidos substituíram as fivelas e tiras anteriores.

Cada uma das esporas de ouro apresenta uma rosa Tudor e uma pulseira coberta de veludo com bordados de ouro. 

As esporas fazem parte da cerimônia de coroação em que o soberano é investido com os ornamentos ou símbolos da realeza. Tradicionalmente as esporas eram presas aos pés do soberano, mas desde a Restauração passaram a ser simplesmente colocadas nos tornozelos dos reis, ou, no caso das rainhas reinantes, apresentadas e depois colocadas no altar. Após a investidura, o soberano é coroado.

Anel do Soberano

Royal Collection Trust | Divulgação

Este anel foi feito para a coroação de William  IV em 1831.. A rainha Vitória não o usou em sua coroação, em 1838, porque seus dedos eram muito pequenos. A apresentação do anel faz parte da investidura da coroação, que é precedida pela unção com óleo bento, e é seguida pela própria coroação.

Manto Roxo do Estado

Royal Collection Trust | Divulgação
Royal Collection Trust | Divulgação

Doze costureiras da Royal School of Needlework levaram 3.500 horas para fazê-lo. O manto é feito de seda e bordado com a cifra do monarca, espigas de trigo e ramos de oliveira, além de representações naturalistas das flores que formam os emblemas nacionais do Reino Unido e dos Domínios em 1937, incluindo a rosa da Inglaterra, o cardo da Escócia, o trevo da Irlanda do Norte, o lótus do Paquistão, prótea da África do Sul, bordo do Canadá e mimosa da Austrália. A cifra com a samambaia da Nova Zelândia e outro ramo de rosas complementa os bordados mais abaixo .

Cadeira da Coroação

Westminster Abbey | Divulgação
Westminster Abbey | Divulgação

Encomendada pelo rei Edward I em 1300, acredita-se que a cadeira de carvalho de dois metros de altura seja a peça de mobiliário mais antiga do Reino Unido.

Ela incorpora a chamada Pedra do Destino, o antigo símbolo da monarquia da Escócia que Edward I tomou em 1296.

Os nacionalistas escoceses pegaram a pedra de 152 kg da Abadia de Westminster, em Londres, em 1950, e mais tarde ela reapareceu na Abadia de Arbroath, na Escócia. Foi formalmente devolvido à Escócia em 1996, mas será levada de volta a Londres para a cerimônia.

  • COBERTURA COMPLETA DA COROAÇÃO DE CHARLES III

+ ASSISTA a transmissão especial da coroação, no SBT News
+ Charles III visitou o Brasil por quatro vezes
+ Charles III, um rei pouco popular com o desafio de modernizar a monarquia
+ Sem Harry e Andrew, Charles III e família real acenam para o público
+ Lula defendeu articulação política, após coroação do rei Charles III
+ Coroação de Charles III: saiba mais sobre as joias usadas na cerimônia
+ Fortuna de Charles III supera a da mãe e chega a R$ 11 bilhões
+ Emblema da coroação celebra amor de Charles III pela natureza
+ Charles III: o rei de transição do Reino Unido
+ O desafio de Charles ao substituir a rainha mais popular da história
+ Coroação do Rei Charles III: veja horário e passo a passo da cerimônia
+ 'Rei ecologista', Charles III destacará amor pela natureza em sua coroação
+ Premiê do Reino Unido anuncia contribuição de R$ 500 mi ao Fundo Amazônia
+ Coroação de Charles III terá presença de chefes de Estado, civis e monarcas
+ Lula se reúne com primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak
+ Mapa Mundi: Lula na coroação de rei Charles III; e ataque à Rússia

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

sbtnews
portalnews
mundo
coroação
rei charles iii
joias
coroas
cetros
reino unido
royal collection trust

Últimas notícias

Quem são Stevie Nicks e Clara Bow, mencionadas no novo álbum de Taylor Swift

Quem são Stevie Nicks e Clara Bow, mencionadas no novo álbum de Taylor Swift

Stevie faz o prelúdio do álbum físico de Taylor; Já Bow é título de uma das canções
Joel Jota desiste de ser padrinho do Time Brasil após críticas na internet

Joel Jota desiste de ser padrinho do Time Brasil após críticas na internet

Influenciador digital é acusado de mentir sobre carreira de natação
"Tio Paulo": Defesa de sobrinha entra com pedido de liberdade condicional

"Tio Paulo": Defesa de sobrinha entra com pedido de liberdade condicional

Advogados alegam que Erika de Souza Vieira Nunes tem uma filha de 14 anos que depende de cuidados especiais
Residência é atingida por árvore após forte ventania no RJ

Residência é atingida por árvore após forte ventania no RJ

Pai e filho ficaram feridos; Defesa Civil ainda não foi no local retirar o pedaço que restou da árvore
"Eu tinha razão, fui mau profeta", diz Gilmar Mendes sobre críticas à Lava Jato

"Eu tinha razão, fui mau profeta", diz Gilmar Mendes sobre críticas à Lava Jato

Ministro do STF voltou a defender criação de uma comissão da verdade para avaliar excessos e irregularidades na condução da operação
Vai esquentar? Veja previsão do tempo para o final de semana

Vai esquentar? Veja previsão do tempo para o final de semana

Sol deve aparecer na maior parte das capitais brasileiras, acompanhado de chuva em alguns estados. Confira
Flagra: Macaco foge de zoológico e vai parar em presídio no RJ

Flagra: Macaco foge de zoológico e vai parar em presídio no RJ

Caso foi registrado na zona norte da capital; bichinho circulou pela penitenciária até ser resgatado
Rendimento mensal do 1% mais rico é quase 40 vezes maior que dos 40% mais pobres no Brasil, diz IBGE

Rendimento mensal do 1% mais rico é quase 40 vezes maior que dos 40% mais pobres no Brasil, diz IBGE

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) aponta aumento no valor médio recebido em 2023, mas desigualdade segue alta
EXCLUSIVO: Gilmar Mendes rebate relatório dos EUA e defende Moraes: "Nenhum excesso"

EXCLUSIVO: Gilmar Mendes rebate relatório dos EUA e defende Moraes: "Nenhum excesso"

"O que mostram como irregular são processos de caráter sigiloso, como a quebra de sigilo. Absolutamente normal", disse o decano ao SBT
Com doença cônica, menino corre risco de perder movimentos do corpo

Com doença cônica, menino corre risco de perder movimentos do corpo

Garotinho precisa de remédio injetável semanal e caro, mas medicamento está em falta na rede pública de saúde de São José dos Campos (SP)
Publicidade
Publicidade