Publicidade

Nos últimos 18 meses, 771 civis foram julgados pela Justiça Militar

STM condenou 163 não-militares e absolveu 51. Crimes vão de desacato a roubo de armas das Forças Armadas

Nos últimos 18 meses, 771 civis foram julgados pela Justiça Militar
STM
Publicidade

Nos últimos 18 meses, a Justiça Militar julgou 771 civis. Números obtidos com exclusividade pelo SBT News no Superior Tribunal Militar (STM) mostram que, dos processos que já chegaram ao fim, 163 não-militares foram condenados e 50, absolvidos. Os crimes vão de desacato, calúnia, furtos de frutas em áreas militares a invasão de quarteis e roubos de armas exclusivas das Forças Armadas por traficantes, além de homicídios.

A variedade e o teor ofensivo dos crimes, mais precisamente a calúnia, levaram a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) a questionar a razão de eventuais reportagens críticas a militares receberem tratamento diferente de textos que confrontam outros servidores. E, assim, no último mês de abril, enviou ao Supremo Tribunal Federal uma ação para coibir o emprego abusivo de procedimentos criminais contra o exercício da liberdade de expressão e de imprensa.

"Uma coisa um crime de um grupo de traficantes contra um quartel, um roubo de armas exclusiva das Forças Armadas, outra, bem diferente, é pensar em julgar um jornalista por causa de uma reportagem na Justiça Militar", disse um ministro do Supremo que preferiu não se identificar. O SBT News pediu ao STM o detalhamento das condenações por tipos de crimes, mas segundo o tribunal o levantamento não foi concluído até a última 6ª feira (2.jul)

"O Supremo tem entendido que apenas nos casos em que as 'instituições militares' são afetadas é legítima a caracterização do fato como crime militar. Nos casos em que não se verifica a capacidade da conduta do autor de 'atingir as Forças Armadas', a Corte afasta a competência da Justiça Militar e a aplicação do Código Penal Militar", defenderam os advogados da ABI Cláudio Pereira de Souza Neto e Luis Guilherme Vieira em artigo publicado na Folha de S.Paulo em 2.jul.

Mesmo com tal interpretação, avaliam os advogados, as expressões "afetar as instituições militares" e "atingir as Forças Armadas" para aplicação deixam aberta a possibilidade de aplicação do Código Penal Militar pela Justiça Militar. O artigo 124 da Constituição diz que Justiça Militar deve processar e julgar os crimes definidos em lei. A Advocacia-Geral da União (AGU), órgão da Presidência, enviou parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF) em qye defende que condutas praticadas por civis, quando ofensivas às instituições militares, devem ser configuradas como crimes militares e ser julgadas pela Justiça Militar da União. 

Segundo o Código Penal Militar, civis podem julgados por crime militar nos seguintes casos: contra o patrimônio sob a administração militar, ou contra a ordem administrativa militar; em lugar sujeito à administração militar contra militar em situação de atividade ou assemelhado, ou contra funcionário de Ministério Militar ou da Justiça Militar, no exercício de função inerente ao seu cargo; contra militar em formatura, ou durante o período de prontidão, vigilância, observação, exploração, exercício, acampamento, acantonamento ou manobras; ainda que fora do lugar sujeito à administração militar, contra militar em função de natureza militar, ou no desempenho de serviço de vigilância, garantia e preservação da ordem pública, administrativa ou judiciária, quando legalmente requisitado para aquele fim, ou em obediência a determinação legal superior.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

sbtnews
portalnews
stm
jmu
dpu
civis
militares

Últimas notícias

Barão Vermelho, Paula Toller e Ney Matogrosso fazem show por vítimas das enchentes no RS

Barão Vermelho, Paula Toller e Ney Matogrosso fazem show por vítimas das enchentes no RS

Evento acontece na quarta-feira (22), no teatro Vivo Rio; ingressos custam a partir de R$ 60
Brasil ultrapassa marca de 5 milhões de casos de dengue em 2024

Brasil ultrapassa marca de 5 milhões de casos de dengue em 2024

Número supera as previsões mais pessimistas feitas pelo Ministério da Saúde, que previa até 4,2 milhões de casos
Chuvas no RS: Número de pessoas fora de suas casas supera 650 mil

Chuvas no RS: Número de pessoas fora de suas casas supera 650 mil

São 76.188 cidadãos em abrigos e outros 581.633 desalojados. Número de mortos em decorrência da tragédia climática no estado segue em 157
Alckmin pede para Congresso retirar taxação de importados de projeto do Mover

Alckmin pede para Congresso retirar taxação de importados de projeto do Mover

Vice-presidente acredita que "jabutis" podem atrasar tramitação do texto que vence no dia 1º de junho; o Mover incentiva construção de carros verdes
Supostos prints mostram mensagem enviada por advogada desaparecida no RJ para marido

Supostos prints mostram mensagem enviada por advogada desaparecida no RJ para marido

Conversa é do dia 11 de março, momentos depois do empresário pagar os sequestradores
FAB transporta três recém-nascidos e dois adultos em UTI Aérea no RS

FAB transporta três recém-nascidos e dois adultos em UTI Aérea no RS

Segundo a Força Aérea Brasileira, foi a maior operação de Evacuação Aeromédica em apoio à população atingida pelas enchentes
Tony Ramos e Roque: o que causa e como prevenir sangramento intracraniano?

Tony Ramos e Roque: o que causa e como prevenir sangramento intracraniano?

Doenças pré-existentes como hipertensão e dor de cabeça intensa podem estar associadas ao problema; entenda
Festival de Cinema de Gramado mantém datas em meio às chuvas

Festival de Cinema de Gramado mantém datas em meio às chuvas

Evento está marcado para agosto. Clima no RS é fator de imprevisibilidade
Lula diz que recuperação do RS é possibilidade de fazer economia do Brasil "crescer ainda mais"

Lula diz que recuperação do RS é possibilidade de fazer economia do Brasil "crescer ainda mais"

Presidente também citou a possibilidade de criar um fundo internacional das "pessoas que poluem" para reconstruir o Rio Grande do Sul
Detentos fabricam camas de madeira para as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul

Detentos fabricam camas de madeira para as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul

Os presos também confeccionam rodos e casinhas para abrigar cachorros resgatados
Publicidade
Publicidade