Publicidade

Pelo menos 596 civis morreram por causa da guerra na Ucrânia, diz ONU

Agências pediram "o fim imediato de todos os ataques à saúde na Ucrânia"

Pelo menos 596 civis morreram por causa da guerra na Ucrânia, diz ONU
Profissionais carregam pessoa ferida (Reprodução/Governo da Ucrânia)
Publicidade

A guerra na Ucrânia provocou a morte de pelo menos 596 civis e deixou outros 1.067 feridos, de 24 de fevereiro a este sábado (12.mar), segundo dados do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos divulgados neste domingo (13.mar) pela ONU.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

De acordo com a entidade, a maioria das mortes no conflito "foi causada por armas explosivas com uma ampla área de impacto, incluindo artilharia pesada e sistemas de foguetes de lançamento múltiplo, bem como mísseis e ataques aéreos".

O relatório, do Escritório, cujos dados foram divulgados nesta data aponta que, segundo a Procuradoria-Geral da Ucrânia, até as 9h (horário local) de hoje, 85 crianças morreram e mais de 100 ficaram feridas por causa da guerra. Porém, diz a ONU, o Escritório "acredita que os números reais são consideravelmente maiores, principalmente em território controlado pelo governo e especialmente nos últimos dias, pois o recebimento de informações de alguns locais onde ocorreram intensas hostilidades foi atrasado e muitos relatórios estão faltando".

Entre esses locais, estão, por exemplo, Izium -- em Kharkiv --, Mariupol e Volnovakha -- em Donetsk --, onde, afirma o Escritório, existem relatos de centenas de vítimas civis. Ainda neste domingo, em comunicado conjunto, autoridades do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) pediram "o fim imediato de todos os ataques à saúde na Ucrânia". "Esses ataques horríveis estão matando e ferindo gravemente pacientes e profissionais de saúde, destruindo a infraestrutura vital de saúde e forçando milhares de pessoas a renunciar ao acesso aos serviços de saúde. Apesar das necessidades catastróficas", completaram. As agências da ONU classificaram como "um ato de crueldade desmedida" atacar propositalmente os mais vulneráveis, como bebês e crianças.

De acordo com a OMS, desde a invasão da Ucrânia pela Rússia, houve 31 ataques contra locais ligados à área da saúde. A ONU acrescenta que, desde o início da guerra, houve mais de 4,3 mil nascimentos no território ucraniano e que 80 mil mulheres uncranianas no país "devem dar à luz nos próximos três meses, enquanto oxigênio e outros suprimentos médicos, incluindo os necessários para tratar complicações da gravidez, estão perigosamente baixos".

Veja também:

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
guerra-na-ucrania
mundo
onu
mortes
civis
feridos
relatório
rússia
invasão
pedido
saúde

Últimas notícias

Casa Branca reforça intenção de Biden em permanecer até o final do mandato como presidente dos EUA

Casa Branca reforça intenção de Biden em permanecer até o final do mandato como presidente dos EUA

Porta-voz do governo estadunidense mantém tom político contra as intenções e promessas de Donald Trump, apesar de Biden desistir da reeleição
Defesa Civil usa tratores aquáticos para retirar toneladas de peixes mortos do Rio Piracicaba

Defesa Civil usa tratores aquáticos para retirar toneladas de peixes mortos do Rio Piracicaba

Equipes estão com 10 embarcações de pequeno porte e mais dois hidrotratores para fazerem a limpeza de rio que passa por São Paulo
Debate, troca de nomes e saúde: o que levou Biden a desistir das eleições nos EUA

Debate, troca de nomes e saúde: o que levou Biden a desistir das eleições nos EUA

Desempenho em pesquisas e situações ‘confusas’ pressionaram para que presidente deixasse tentativa de reeleição; entenda
Kamala Harris se diz “honrada” com apoio de Biden “para derrotar Trump”

Kamala Harris se diz “honrada” com apoio de Biden “para derrotar Trump”

Atual vice-presidente dos Estados Unidos depende do sinal verde do partido Democrata para assumir candidatura principal
Bill Clinton anuncia apoio a Kamala Harris após desistência de Biden

Bill Clinton anuncia apoio a Kamala Harris após desistência de Biden

O ex-presidente dos Estados Unidos afirmou que o país já viveu muitos altos e baixos, "mas nada o preocupa mais do que a ameaça de mais um mandato de Trump"
Conheça cotados para substituir Biden na corrida eleitoral dos EUA

Conheça cotados para substituir Biden na corrida eleitoral dos EUA

Com desistência por reeleição, partido democrata escolherá novo representante. Kamala Harris e governadores estão entre cotados
Obama se pronuncia sobre desistência de Joe Biden e não menciona Kamala Harris

Obama se pronuncia sobre desistência de Joe Biden e não menciona Kamala Harris

Ex-presidente dos Estados Unidos elogiou Biden, mas advertiu que decisão deixa os democratas em "águas desconhecidas"
Após incentivar desistência de Joe Biden, ex-presidente da Câmara elogia decisão do atual presidente

Após incentivar desistência de Joe Biden, ex-presidente da Câmara elogia decisão do atual presidente

Para Nancy Pelosi, Biden é um patriota que “sempre colocou” os Estados Unidos em primeiro lugar
Boletim médico revela melhora de Biden em meio a desistência do presidente à reeleição

Boletim médico revela melhora de Biden em meio a desistência do presidente à reeleição

Líder democrata continua desempenhando todas as funções presidenciais, segundo comunicado divulgado neste domingo (21)
“É o interesse do meu partido e do país que eu me afaste”: leia a carta de desistência de Biden

“É o interesse do meu partido e do país que eu me afaste”: leia a carta de desistência de Biden

Presidente dos Estados Unidos abriu mão da disputa eleitoral e apoiou que a disputa fique com Kamala Harris, atual vice
Publicidade
Publicidade