Publicidade

Vinícius Jr: governo cobra respostas por ataques racistas contra jogador

Ministérios questionam Fifa e Espanha; Flávio Dino cogita que crime siga lei brasileira, mesmo no exterior

Vinícius Jr: governo cobra respostas por ataques racistas contra jogador
vinicius jr
Publicidade

A série de ataques racistas contra o jogador da Seleção Vinícius Júnior, mais conhecido por Vini Jr, provocou uma série de reações no país ao longo desta 2ª feira (22.mai). Em defesa do esportista que atualmente está no Real Madrid, o governo pediu respostas e providências à Espanha e à Federação Internacional de Futebol (FIFA). O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, também se solidarizou ao brasileiro, e disse que a pasta cogita uma medida jurídica excepcional se houver omissão de autoridades espanholas - a adoção da extraterritorialidade, que pode fazer com que o crime de racismo contra o esportista siga a lei brasileira, mesmo cometido no exterior.

"O Código Penal prevê que, em algumas situações excepcionais, é possível que, no casos de crimes contra brasileiros, mesmo no exterior, haja aplicação da lei brasileira", disse Flávio Dino em São Paulo, após participar de um evento com empresários. Horas depois, o ministro utilizou redes sociais para dizer que a medida ainda está em análise e depende de outros fatores para ser adotada.

Mais cedo, cinco ministérios repudiaram os ataques racistas que o jogador brasileiro vem sofrendo na Espanha. No comunicado conjunto, as pastas saem em nome do governo afirmando lamentar profundamente que ainda não tenham sido adotadas providências efetivas "para prevenir e evitar a repetição desses atos de racismo". 

"Insta as autoridades governamentais e esportivas da Espanha a tomarem as providências necessárias, a fim de punir os perpetradores e evitar a recorrência desses atos. Apela, igualmente, à FIFA, à Federação Espanhola e à Liga a aplicar as medidas cabíveis", diz trecho da nota assinada pelos ministérios das Relações Exteriores; da Igualdade Racial; da Justiça e Segurança Pública; do Esporte; e dos Direitos Humanos e da Cidadania.

+ Reitor da Universidade Zumbi dos Palmares pede ação conjunta contra o racismo

A jornalistas, a ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, criticou abertamente o Campeonato Espanhol de futebol, citando histórico racista, e saiu em defesa do jogador. "A gente vai para cima das autoridades, notificar, oficializar para que tenha uma resposta. O histórico da La Liga não é bom, é bem racista. Ontem mesmo, o próprio presidente, diretor, quis colocar o Vini como culpado por ter vivido esse racismo. E a gente está aqui para enfrentar isso em conjunto, com muita seriedade e afinco", pontuou.

Alvo de reiterados ataques racistas, o último episódio contra Vini Jr. ocorreu no domingo (21.mai), em partida pelo Campeonato Espanhol, e ganhou destaque após o jogador ter sido expulso da partida - e se posicionado sobre o tema em redes sociais. No mesmo dia, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva se solidarizou com o jogador e também cobrou providências por parte de organizadores esportivos.

"É importante que a Fifa e a liga espanhola tomem sérias providências, porque nós não podemos permitir que o fascismo e o racismo tomem conta dos estádios de futebol", disse, durante viagem ao Japão.

Ataques contra Vini Jr
O primeiro caso de racismo sofrido por Vini Jr. como jogador merengue foi incluído na versão de 2021 do Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol. De acordo com o jornal esportivo As, da Espanha, Vini Jr. foi alvo de outros nove episódios de racismo, sem que ninguém fosse punido. As denúncias arquivadas ou seguem em curso na Justiça. Nenhum clube ou torcida sofreu sanções ou medidas disciplinares. 

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

governo
futebol
vini jr
ataque racista
racismo
vinicius junior
o que aconteceu com vinicius junior
entenda o caso vini jr

Últimas notícias

Saiba quais são as 30 cidades grandes com as maiores taxas de homicídios do Brasil

Saiba quais são as 30 cidades grandes com as maiores taxas de homicídios do Brasil

Cinco cidades baianas estão à frente. Taxas superaram 50 homicídios por 100 mil habitantes em 2022, segundo Atlas da Violência
Marcos Rogério assume liderança da oposição ao governo no Senado

Marcos Rogério assume liderança da oposição ao governo no Senado

Atualmente no cargo, Marinho se afasta do cargo por 120 dias para se dedicar às eleições municipais
Rodrigo Pacheco chama projeto sobre aborto de “irracional” e “inviável”

Rodrigo Pacheco chama projeto sobre aborto de “irracional” e “inviável”

Presidente do Senado se posicionou acerca do polêmico tema diante de parte da bancada feminina da Casa
Policiais civis são alvo de tiros durante operação na Maré (RJ)

Policiais civis são alvo de tiros durante operação na Maré (RJ)

Agentes realizavam operação contra estabelecimentos comerciais que receptavam e revendiam roupas de grifes roubadas
Caso Paquetá: Senado aprova convite para ouvir o jogador na CPI da Manipulação no Futebol

Caso Paquetá: Senado aprova convite para ouvir o jogador na CPI da Manipulação no Futebol

Por se tratar de um convite, o jogador pode recusar a participação
Incêndio de grande proporção atinge prédio comercial na Grande SP

Incêndio de grande proporção atinge prédio comercial na Grande SP

Nove equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas e conseguiram conter o fogo no local
Brasil aparece entre os piores países em pensamento criativo nas salas de aula

Brasil aparece entre os piores países em pensamento criativo nas salas de aula

No ranking com 56 países, o Brasil aparece na 44ª colocação, empatado com Peru, Panamá e Arábia Saudita
Quase 500 criminosos são presos em operação na Bahia

Quase 500 criminosos são presos em operação na Bahia

Segundo a polícia, integrante de um grupo criminoso que gerenciava um laboratório de drogas em Castelo Branco foi localizado por equipes do Depom
80 milhões de pessoas estão sob alerta para altas temperaturas nos Estados Unidos

80 milhões de pessoas estão sob alerta para altas temperaturas nos Estados Unidos

Onda de calor extremo afeta quase todo o território americano
Lira anuncia que debate de projeto antiaborto só ocorrerá no segundo semestre

Lira anuncia que debate de projeto antiaborto só ocorrerá no segundo semestre

Presidente da Câmara afirma que projeto não "irá retroagir nos direitos já garantidos e nada irá avançar que traga qualquer dado aos diretos das mulheres"
Publicidade
Publicidade