Publicidade

Atuais políticas públicas são incoerentes com a sustentabilidade, criticam CEOs

Especialistas em economia circular dizem que os governos ainda não incentivam o capitalismo consciente

Atuais políticas públicas são incoerentes com a sustentabilidade, criticam CEOs
Publicidade

"Até agora só se criou formas de desperdício. Até pela ociosidade. É quando você compra um produto e não usa. A furadeira é um exemplo. Quem tem, usa em média, três minutos na vida, vi em uma pesquisa. Também tem o encurtamento da vida útil, que nasceu na primeira crise econômica do mundo. Quando o pessoal das lâmpadas precisou aumentar o consumo... 'Eureka! Vamos acabar com a vida útil das lâmpadas'. Em vez das sete mil horas, deixaram com mil. Duram menos e vendem mais", conta Guilherme Brammer, CEO da Boomera Ambipar, empresa que cria soluções sustentáveis para outras companhias, ao falar sobre como o modelo econômico de produção linear não é sustentável.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

A solução é o sistema circular, no qual a matéria-prima pode vir de produtos dispensandos, uma reciclagem. Os resíduos gerados durante o processo já são deslocados para outras linhas de produção ou até fábricas, gerando outros itens. Em vez de feitos para não durar, o contrário. O lucro pode vir pela confiança gerada ou por transformar o produto em serviço. O exemplo da furadeira pode ser dado aqui: ao invés de vender uma furadeira que se tornará quase inútil, por que não criar um serviço de aluguel da ferramenta e lucrar permanentemente? Pois é, não é porque é sustentável que não rende lucro, lembra outro CEO:

"Não é a toa que chamam de economia circular. Se não era só circularidade. É o negócio envolvendo a circularidade que chama economia circular. A gente tem que parar de achar que é uma atitude de quem abraça árvore e entender que é uma oportunidade de negócio fazer seu produto durar ou voltar", fala Arthur Rufino, que criou a Octa, uma desmontadora de veículos. Ou seja, evita que mais latas, plásticos, tecidos, vidros e condúítes sejam jogados naqueles gigantescos cemitérios de automóveis.

"Tive em 10 países. Você percebe que lá fora, 5% da frota, todo ano, vão para um centro de desmontagem legal. São desmontadas e as peças são redistribuídas para o consumidor. Seja como reuso puro ou como remanufatura. Então, você pega uma peça que não tá perfeita, a indústria simplesmente aplica algum tipo de reparo ela volta em condição de nova para o mercado. São mercados enormes. O Japão tem quase quatro milhões de veículos desmontados por ano. O Estados Unidos tem mais de 12 milhões. No Brasil, a gente tá com 500 mil desmontados formalmente. Aí o que acontece: quando você não oferece para o mercado uma solução legal, aumentam os furtos e roubos de veículos. Então, tem muito espaço para centros de desmontagem legais no Brasil para dar conta do recado. Porque o consumidor tá sentindo a falta, a demora das montadoras: cadê minhas peças", conta Arthur, incomodado sobre como, durante esse tempo todo, o Brasil ainda tem tão poucas desmontadoras.

Por que poucos empreendedores veem oportunidades no movimento pela sustentabilidade?

"A gente tem que mudar um 'chipzinho' no cérebro. Precisa aprender a desaprender. Começar a colocar esse tipo de pauta para crianças desde o primeiro ano da escola. A gente ensina história, geografia, matemática, mas não ensina ecossistema, sustentabilidade. Então, quando você vai tomar uma decisão, seja como consumidor ou diretor de uma empresa, sua decisão vai seguir o passado", considera Guilherme ao refletir sobre a carência de projetos sustentáveis. Além da educação escolar, a de ensino superior, o mercado de trabalho, o financeiro e os poderes políticos precisam mudar suas formas de ver processos, afinados com a sustentabilidade.

Aliás, sobre as políticas públicas, podemos citar que precisam ser mais coerentes. Um mau exemplo ocorre com os subsídios cedidos pelos governos para as indústrias: "Hoje, a indústria recicladora paga o mesmo nível de impostos que uma indústria petroquímica, que uma indústria que extrai recursos não renováveis paga", lembra ele. Essa situação mostra como, apesar da gravidade, ainda não temos o comprometimento de quem mais interessa para diminuir o estresse do planeta. "A economia circular, pela abrangência que tem e se emprega em escala, é a solução para o que vivemos hoje", afirma Guilherme.

Porém, nos Estados Unidos, menos de 10% das empresas aderiram à economia circular, conforme pesquisa do próprio governo à pedido presidente Joe Biden. No Brasil, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), 72% fazem. Esse dado causou surpresa: "Eu diria que há alguma informação complementar aí", brinca Guilherme. "De certo, fazem algo como reciclar arestas da matéria-prima. Não é um programa completo", complementa Arthur. Realmente, a CNI revela que entre os que disseram fazer economia circular, 70% deles que não conheciam o conceito antes de serem interrogados pela pesquisa.

Saiba mais sobre economia circular no episódio 33 do Foco ESG:

Veja também:

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
noticia
podcast
videocast
conteúdo
foco-esg
esg
sustentabilidade
meio ambiente
sociedade
governança
impacto
positivo
economia
circular
negócio
ideia

Últimas notícias

Estudantes e professores protestam contra cortes na educação na Argentina

Estudantes e professores protestam contra cortes na educação na Argentina

Mobilização recebeu apoio de setores da oposição em todo o país
Após morte de Joca, Gol suspende transporte de cães e gatos por 30 dias

Após morte de Joca, Gol suspende transporte de cães e gatos por 30 dias

Segundo a empresa, a suspensão é "para se dedicar totalmente a concluir o processo de investigação" do caso
Perfis de bolsonaristas no X bloqueados pelo STF usaram canal de bate-papo para fazer lives "clandestinas"

Perfis de bolsonaristas no X bloqueados pelo STF usaram canal de bate-papo para fazer lives "clandestinas"

PF identificou que acusados de integrar milícia digital fizeram, dos EUA, transmissões ao vivo, por canais inativados judicialmente
Polícia desarticula quadrilhas especializadas em roubos a condomínios

Polícia desarticula quadrilhas especializadas em roubos a condomínios

Investigações pegaram criminosos que atuavam em 5 estados, se passavam por moradores e ostentavam nas redes sociais
Polícia prende integrantes de quadrilha envolvida na morte de empresário, em SP

Polícia prende integrantes de quadrilha envolvida na morte de empresário, em SP

Caso aconteceu em setembro do ano passado; criminosos usavam aplicativos de namoro para atrair as vítimas
Empresária condenada por matar o marido com um tiro na nuca se entrega à polícia em SP

Empresária condenada por matar o marido com um tiro na nuca se entrega à polícia em SP

Crime aconteceu em janeiro de 2013, na Zona Leste de São Paulo; Andressa Ramos de Araújo foi condenada a 13 anos e seis meses de prisão
Câmara aprova continuidade de benefício para o setor de eventos com impacto de R$ 15 bilhões

Câmara aprova continuidade de benefício para o setor de eventos com impacto de R$ 15 bilhões

Andamento do programa emergencial contrariou pedido do governo e valerá para 30 atividades econômicas. Texto segue para o Senado
Datena, educação e polarização na Segurança Pública: confira íntegra da entrevista de Tabata Amaral

Datena, educação e polarização na Segurança Pública: confira íntegra da entrevista de Tabata Amaral

Pré-candidata à Prefeitura de São Paulo pelo PSB falou sobre propostas para a maior cidade do Brasil ao SBT News
Candidatos reclamam de falhas técnicas e problemas na lista de espera do Fies

Candidatos reclamam de falhas técnicas e problemas na lista de espera do Fies

Mesmo com os problemas relatados, Ministério da Educação afirma que não deve fazer alterações no cronograma
Alckmin responde cobrança de Lula com meme de desenho animado: “Pé na tábua”

Alckmin responde cobrança de Lula com meme de desenho animado: “Pé na tábua”

Presidente havia cobrado vice-presidente e ministros agilidade e para melhorarem articulações com o Congresso Nacional
Publicidade
Publicidade