Publicidade

Entenda a queda do dólar e os riscos de investimentos

Vale investir na moeda norte-americana? Confira o que dizem os especialistas

Entenda a queda do dólar e os riscos de investimentos
Dólar
Publicidade

Depois de seguidas quedas registradas durante a semana, o dólar inicia esta 2ª feira (4.abr) tendo como valor de referência a cotação mais baixa desde o início da pandemia. A moeda norte-americana fechou a 6ª feira (1º.abr) a R$ 4,66. Em março de 2020, a moeda valia R$ 4,64 e, em dois anos, já chegou a custar quase R$ 6. 

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

No acumulado do ano de 2022, o dólar teve baixa de 16,29% frente ao real. A baixa pode ser explicada por uma série de fatores e, um deles, é a própria crise sanitária. Quando a pandemia foi decretada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), houve um pânico generalizado e, consequentemente, fuga de capital. Isso porque, para os investidores, não era interessante ficar em mercados de economias emergentes, como a brasileira, por serem mais propensas a riscos. Por isso, o real se desvalorizou naquele período.

O que ocorre agora é o movimento reverso. Logo, é natural que muitas moedas se valorizem em relação ao dólar. "A fase dos confinamentos generalizados e de grande incerteza (sobre o vírus) já passou. Logo, há uma tendência maior para que ativos e fundos de investimentos que haviam se protegido em títulos mais seguros voltem aos mercados emergentes", explica Felipe Queiroz, economista e pesquisador da Unicamp. 

Outro fator, segundo o especialista, é a alta da inflação no Brasil, que pressionou também a disparada da taxa de juros. A taxa básica de juros serve como referência para o retorno dos investimentos. Com o valor em alta, aplicações financeiras se tornam mais atraentes. Isso porque, ao invés de correr riscos, o investidor terá uma garantia de retorno a médio e longo prazo.

A alta taxa de juros praticada em diversos países, aliada à elevação no preço das commodities (matérias-primas), incentivam o fluxo de dólares e derrubam a cotação da moeda norte-americana. Além disso, o conflito armado entre Rússia e Ucrânia também influencia a economia mundial, já que os dois países têm papel fundamental no mercado agrícola, representando 53% do comércio global de óleo de girassol e 27% do trigo, segundo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU).  

A guerra afugentou o investidor da Europa, que hoje busca retorno em um cenário mais tranquilo. A possibilidade de uma escassez de matéria-prima também impulsionou o preço das commodities e aumentou o volume de dólar que circula no Brasil. "Temos que levar em consideração que, no câmbio, a moeda não é só um elemento econômico, é um elemento político também. E a correlação de forças no mercado internacional influencia a cotação dessas moedas", ressalta Queiroz. 

É o momento certo para comprar dólar?

Apesar do preço atrativo, é preciso ter cuidado. "Em qualquer cenário de guerra, de crise e de turbulência, todas as variáveis se tornam muito mais incertas", explica o economista. Segundo ele, é difícil prever se a moeda norte-americana continuará no patamar em que está ou se irá valorizar ou desvalorizar ainda mais.  "Há a incerteza, a instabilidade e o risco iminente de haver uma implosão no sistema financeiro. É nesse sentido que não dá pra traçar um cenário com certeza", reitera.
 

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
economia
dolar
alta do dolar
moeda
estados unidos

Últimas notícias

No dia de São João, governo reconhece quadrilhas como manifestação da cultura nacional

No dia de São João, governo reconhece quadrilhas como manifestação da cultura nacional

Dança típica foi considerada relevante para a identificação regional nas apresentações juninas
"Pausas táticas não aliviam situação humanitária em Gaza", diz OMS

"Pausas táticas não aliviam situação humanitária em Gaza", diz OMS

Combates paralelos e contínuo deslocamento forçado de civis dificultam a entrega de ajuda na região
Intenção de consumo das famílias cresce 0,5% em junho e mantém índice positivo

Intenção de consumo das famílias cresce 0,5% em junho e mantém índice positivo

Resultado foi influenciado pelo acesso ao crédito e pelo aquecimento do mercado de trabalho
Brasil ultrapassa marca de 6 milhões de casos de dengue em 2024

Brasil ultrapassa marca de 6 milhões de casos de dengue em 2024

SP e MG seguem liderando ranking de infecções; número de mortes confirmadas chega a 4 mil
Ataques contra igrejas e sinagogas deixam mais de 15 mortos na Rússia

Ataques contra igrejas e sinagogas deixam mais de 15 mortos na Rússia

Homens armados invadiram os locais na tarde de domingo (23); autoridades investigam o caso
Caixa libera Bolsa Família de junho para beneficiários com NIS final 6

Caixa libera Bolsa Família de junho para beneficiários com NIS final 6

Valor pode ser sacado em agências bancárias ou movimentado virtualmente; calendário também conta com Auxílio Gás
SBT News na TV: Professores das universidades federais decidem encerrar greve

SBT News na TV: Professores das universidades federais decidem encerrar greve

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta segunda-feira (24); assista!
Netanyahu diz que combate intenso contra o Hamas está perto do fim, mas que guerra continuará

Netanyahu diz que combate intenso contra o Hamas está perto do fim, mas que guerra continuará

Primeiro-ministro israelense concedeu entrevista a uma emissora do país pela primeira vez desde o início da guerra
Universidades federais: professores decidem encerrar greve

Universidades federais: professores decidem encerrar greve

Paralisação nacional começou em abril. Retorno às aulas depende de decisão interna de cada instituição
Professores de ensino básico e técnico de instituições federais aceitam acordo e anunciam fim da greve

Professores de ensino básico e técnico de instituições federais aceitam acordo e anunciam fim da greve

Propostas de reajuste para as duas categorias foram aprovadas por 89 votos a 15
Publicidade
Publicidade