Publicidade

Projeto de lei pode tornar crime a discriminação de políticos

Deputados aprovaram urgência e proposta furou a fila; texto segue para o Senado

Projeto de lei pode tornar crime a discriminação de políticos
plenario_camara_deputados
Publicidade

A Câmara dos Deputados aprovou, na 4ª feira (14.jun), um projeto de lei que torna crime a discriminação de políticos. Agora, o texto segue para análise do Senado.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

A proposta "tipifica o crime de negar a abertura ou manutenção de conta e concessão de crédito a pessoas politicamente expostas", informa a Agência Câmara, que segue detalhando que "a pena será de reclusão de 2 a 4 anos e multa para quem negar a abertura de conta ou sua manutenção ou mesmo a concessão de crédito ou outro serviço. Essa negativa abrange até mesmo pessoa jurídica controlada por pessoa politicamente exposta".

Pessoas politicamente expostas

O projeto de lei traz ainda uma lista das autoridades consideradas pessoas politicamente expostas. Veja:

  • detentores de mandatos eletivos dos poderes Executivo e Legislativo da União
  • ministro de Estado ou equivalente
  • ocupante de Cargo de Natureza Especial ou equivalente no Poder Executivo da União
  • presidente, vice-presidente e diretor, ou equivalentes, de entidades da administração pública indireta no Poder Executivo da União
  • ocupante de cargos de Direção e Assessoramento Superior (DAS) de nível 6 ou equivalente no Poder Executivo da União
  • membros do Supremo Tribunal Federal, do Conselho Nacional de Justiça, dos tribunais superiores, dos tribunais regionais federais, dos tribunais regionais do Trabalho, dos tribunais regionais eleitorais, do Conselho Superior da Justiça do Trabalho e do Conselho da Justiça Federal
  • membros do Conselho Nacional do Ministério Público, procurador-geral da República, vice-procurador-geral da República, procurador-geral do Trabalho, procurador-geral da Justiça Militar, subprocuradores-gerais da República e procuradores-gerais de Justiça dos estados e do Distrito Federal
  • membros do Tribunal de Contas da União, procurador-geral e subprocuradores-gerais do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União
  • presidentes e tesoureiros nacionais, ou equivalentes, de partidos políticos
  • governadores, vice-governadores, secretários de estado e do Distrito Federal, deputados estaduais e distritais, presidentes, ou equivalentes, de entidades da administração pública indireta estadual e distrital e presidentes de tribunais militares, de Justiça, de Contas ou equivalentes de estado e do Distrito Federal
  • prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, secretários municipais, presidentes ou equivalentes de entidades da administração pública indireta municipal e presidentes de tribunais de contas de municípios ou equivalentes

A identificação deverá ser feita por meio de consulta ao Cadastro Nacional de Pessoas Expostas Politicamente disponível no Portal da Transparência.

Antes da votação, os deputados aprovaram a urgência do texto. Com isso, o projeto de lei furou a fila e foi analisado diretamente no plenário da Câmara, sem passar pelas comissões. O placar foi de 252 votos favoráveis a 163 contrários. O texto segue agora para análise do Senado.

Por enquanto, já que o texto ainda vai passar pelo crivo dos senadores, a pena para quem cometer o crime de discriminação de políticos é de 2 a 4 anos de prisão, mais multa. A proposta também exige que bancos e instituições financeiras expliquem de forma técnica e objetiva eventual recusa de concessão de crédito para essas pessoas.

* Com informações da Agência Câmara

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
noticia
votação
câmara
discriminar políticos
deputados
senadores
políticos
crime
prisão
lei
plenário
senado

Últimas notícias

"Pausas táticas não aliviam situação humanitária em Gaza", diz OMS

"Pausas táticas não aliviam situação humanitária em Gaza", diz OMS

Combates paralelos e contínuo deslocamento forçado de civis dificultam a entrega de ajuda na região
Intenção de consumo das famílias cresce 0,5% em junho e mantém índice positivo

Intenção de consumo das famílias cresce 0,5% em junho e mantém índice positivo

Resultado foi influenciado pelo acesso ao crédito e pelo aquecimento do mercado de trabalho
Brasil ultrapassa marca de 6 milhões de casos de dengue em 2024

Brasil ultrapassa marca de 6 milhões de casos de dengue em 2024

SP e MG seguem liderando ranking de infecções; número de mortes confirmadas chega a 4 mil
Ataques contra igrejas e sinagogas deixam mais de 15 mortos na Rússia

Ataques contra igrejas e sinagogas deixam mais de 15 mortos na Rússia

Homens armados invadiram os locais na tarde de domingo (23); autoridades investigam o caso
Caixa libera Bolsa Família de junho para beneficiários com NIS final 6

Caixa libera Bolsa Família de junho para beneficiários com NIS final 6

Valor pode ser sacado em agências bancárias ou movimentado virtualmente; calendário também conta com Auxílio Gás
SBT News na TV: Professores das universidades federais decidem encerrar greve

SBT News na TV: Professores das universidades federais decidem encerrar greve

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta segunda-feira (24); assista!
Netanyahu diz que combate intenso contra o Hamas está perto do fim, mas que guerra continuará

Netanyahu diz que combate intenso contra o Hamas está perto do fim, mas que guerra continuará

Primeiro-ministro israelense concedeu entrevista a uma emissora do país pela primeira vez desde o início da guerra
Universidades federais: professores decidem encerrar greve

Universidades federais: professores decidem encerrar greve

Paralisação nacional começou em abril. Retorno às aulas depende de decisão interna de cada instituição
Professores de ensino básico e técnico de instituições federais aceitam acordo e anunciam fim da greve

Professores de ensino básico e técnico de instituições federais aceitam acordo e anunciam fim da greve

Propostas de reajuste para as duas categorias foram aprovadas por 89 votos a 15
Testado na África, novo medicamento contra HIV alcança 100% de eficiência

Testado na África, novo medicamento contra HIV alcança 100% de eficiência

Ensaio clínico apontou que uma injeção semestral de lenacapavir deu proteção total contra o vírus
Publicidade
Publicidade