Publicidade

Governo promete mudar rumo após críticas por perdas ambientais

Congresso desidratou pastas de Marina e Sonia Guajajara e provocou reação de Lula

Governo promete mudar rumo após críticas por perdas ambientais
Floresta Amazônica
Publicidade

Após uma série de críticas pelo movimento de desidratação de ministérios que tratam da política ambiental, o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sinalizou uma mudança de rumos em relação às alterações propostas em medida provisória que tramita no Congresso. Na primeira etapa, deputados e senadores da comissão mista da reestruturação de ministérios esvaziaram atribuições sob alçada de Marina Silva, do Meio Ambiente, e Sonia Guajajara, que chefia a pasta dos Povos Indígenas.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Sem comentários iniciais, além de elogios à permanência de todos os 37 ministérios definidos no início do governo Lula, ministros palacianos - e o próprio presidente - mudaram o discurso no fim da semana. A empresários da indústria, o petista disse que os pontos definidos pela comissão fazem parte do jogo político, e que, agora, o espaço seria de diálogo. O mesmo foi apresentado, com mais ênfase, pelos dois principais interlocutores do Planalto - Alexandre Padilha, ministro das Relações Institucionais, e Rui Costa, da Casa Civil.

Em posicionamento diferente dos elogios tecidos ao relatório aprovado na última 4ª feira, Padilha afirmou, também, que o compromisso com o meio ambiente segue definido por Lula - independente do resultado final na Câmara e no Senado. E negou qualquer movimento para judicializar a decisão que ainda vai passar pelos plenários das duas Casas. Rui Costa, por sua vez, enfatizou a intenção de manter o texto da forma como foi definida no início do governo.

"Eu diria que a maior parte, ou quase totalidade dos pontos, preservou aquilo que era o conceito original da MP, mas em alguns pontos isso não foi mantido e, portanto, o governo continuará trabalhando para que a gente possa retomar os conceitos dos pontos originais que foram modificados", afirmou o titular da Casa Civil, ao lado dos líderes do governo no Congresso, que devem articular medidas na próxima semana.

Em publicação feita em rede social após a reunião com ministros, Sonia Guajajara mostrou que o encontro foi positivo, e que o trabalho será voltado para garantir a pauta ambiental: "Seguiremos fazendo todos os diálogos possíveis para a manutenção dos direitos indígenas".

O que foi alterado

Entre as mudanças aprovadas na comissão especial estão pontos como a transferência do trabalho de reconhecimento e demarcação de terras indígenas - a responsabilidade deixaria de ser do Ministério dos Povos Indígenas e passaria para o Ministério da Justiça. Além da mudança de responsabilidade do Cadastro Ambiental Rural (CAR), do Ministério do Meio Ambiente para o de Gestão e Inovação.

+ Belém é escolhida como cidade para sediar a COP 30, em 2025

Na prática, as medidas dão menos poder de decisão para áreas que atuam diretamente na preservação do meio ambiente. A possível mudança foi duramente criticada por instituições que atuam na defesa ambiental. Um manifesto que condena as ações foi assinado por mais de 700 organizações e entregue aos líderes do Congresso na última semana. O documento considerou as medidas "devastadoras", e pediu que mudanças em recursos hídricos, saneamento e resíduos sólidos deixem de valer - além da demarcação de terras indígenas.

"Votar a favor desses equívocos significa apoiar a diminuição da capacidade de o Brasil combater o desmatamento, principal fonte nacional de emissões de gases de efeito estufa, de assegurar o equilíbrio no uso múltiplo das águas e de garantir a efetividade dos direitos constitucionais dos povos indígenas e a tutela dos direitos humanos. Não há qualquer razão administrativa que justifique o esquartejamento do MMA e a redução de poder do MPI", diz trecho do manifesto encaminhado.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
governo
congresso
articulação governo congresso
lis-cappi
lula
esplanada
ministérios
marina silva
sbtnews
lis cappi
sonia guajajara
demarcação de terras indígenas

Últimas notícias

Morre no Rio de Janeiro o dramaturgo Antonio de Bonis

Morre no Rio de Janeiro o dramaturgo Antonio de Bonis

Artista ficou conhecido pela direção do musical “Emilinha e Marlene - As Rainhas do Rádio"
Explorando o Rio de bike: roteiro até o Aeroporto Santos Dumont

Explorando o Rio de bike: roteiro até o Aeroporto Santos Dumont

Descubra a beleza escondida da ciclovia Mané Garrincha e suas vistas deslumbrantes pelo caminho
Missão que levou homem à Lua pela primeira vez completa 55 anos

Missão que levou homem à Lua pela primeira vez completa 55 anos

Três astronautas americanos participaram da empreitada organizada pela Nasa
"Homem que é homem" não bate em mulher, diz Lula durante evento em São Bernardo do Campo (SP)

"Homem que é homem" não bate em mulher, diz Lula durante evento em São Bernardo do Campo (SP)

Fala vem poucos dias depois de presidente dar declaração considerada machista
Sem vice-prefeito, Eduardo Paes oficializa candidatura à reeleição no Rio

Sem vice-prefeito, Eduardo Paes oficializa candidatura à reeleição no Rio

Durante convenção partidária, Paes falou sobre ter cumprido ou não propostas feitas nas eleições municipais de 2020
Robô da Nasa encontra mineral inédito em Marte

Robô da Nasa encontra mineral inédito em Marte

Cristais amarelos de enxofre puro foram revelados após o rover Curiosity passar sobre uma rocha
Taxista é preso por integrar quadrilha paulista que rouba casas de luxo no Rio

Taxista é preso por integrar quadrilha paulista que rouba casas de luxo no Rio

Segundo as investigações, o homem utilizava o veículo para guiar os assaltantes até as casas que seriam roubadas
Rebelião de presos incendeia presídio em Franco da Rocha, Grande São Paulo; situação foi controlada

Rebelião de presos incendeia presídio em Franco da Rocha, Grande São Paulo; situação foi controlada

O motim foi o primeiro em quatro anos, em São Paulo, segundo o Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo (SIFUSPESP)
Helicóptero dos bombeiros faz pouso forçado às margens do rio Araguaia em Goiás; piloto fica ferido

Helicóptero dos bombeiros faz pouso forçado às margens do rio Araguaia em Goiás; piloto fica ferido

Motivos do pouso de emergência estão sendo investigados pelos órgãos competentes
Ministério da Saúde atualiza caderneta infantil; saiba qual a importância de manter a vacinação em dia

Ministério da Saúde atualiza caderneta infantil; saiba qual a importância de manter a vacinação em dia

A distribuição dos exemplares em versão física da caderneta foi retomada neste ano
Publicidade
Publicidade