Publicidade

Há indícios "fortíssimos" de supernotificação de mortes, diz Bolsonaro

Em transmissão ao vivo pela internet, presidente defendeu "tratamento imediato" contra a covid-19

Há indícios "fortíssimos" de supernotificação de mortes, diz Bolsonaro
O presidente da República, Jair Bolsonaro, participa de transmissão ao vivo pela internet (Reprodução/Youtube)
Publicidade

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), voltou a afimar nesta 5ª feira (10.jun) que o Tribunal de Contas da União (TCU) não desmentiu sua afirmação de que um documento da corte apontava terem sido feitas notificações falsas de mortes causadas pela covid-19 no Brasil. Em sua tradicional transmissão ao vivo pela internet, Bolsonaro apresentou um suposto acórdão de 100 páginas "não conclusivo" no qual, de acordo com o presidente, há "fortíssimos indícios de supernotificação [de óbitos]".

Anda segundo Bolssonaro, consta no documento um alerta a respeito de uma lei, do ano passado, que poderia incentivar a supernotificação ao garantir o envio de uma quantidade maior de recurso da União a estados com mais vítimas. Na live, ele estava acompanhado do ministro do Turismo, Gilson Machado.

Criticando a imprensa, o presidente disse que parte dela "tem preguiça de ler e, quando lê, não sabe interpretar". Em outro momento, falou novamente ter ocorrido menos mortes no ano passado: "Se vocês pegarem o número de óbitos de 2020 e tirar o aproxidamente 200 mil óbitos de 2020, o número de óbitos em relação a 2019 é negativo, é descrescente. É mais outro indício robusto de supernotificação". Na visão do presidente, algum deputado ou senador provocará o TCU a investigar as mortes por covid.

+ Por unanimidade, STF autoriza realização da Copa América no Brasil

Posteriormente, defendeu o uso de medicamentos sem eficácia comprovada ou ineficácia já verificada contra a covid-19, no que chamou de "tratamento imediato" da doença. Segundo Bolsonaro, remédios como a hidroxicloroquina e a ivermectina são responsáveis por levar o Brasil a ter um índice de mortes causadas pela covid por milhão de habitantes menor que o de muitos países. "É o remédio da malária, é o remédio do piolho, não tem outra explicação", pontuou.

De acordo com ele, não apostou nos medicamentos sem analisar antes e "não errou nenhuma" ao longo da pandemia. Mais uma vez também, negou ter dito que a covid-19 seria uma "gripezinha" para todas as pessoas. O presidente criticou ainda as declarações de que haveria um "gabinete paralelo" e um "gabinete do ódio" em seu governo. Já se comparando com seus antecessores no Palácio do Planalto, repetiu não haver corrupção em sua gestão.

Economia e meio ambiente

Em dois diferentes momentos na transmissão, Bolsonaro disse que o Brasil teve "uma semana fantástica com números na economia" e que a Amazônia não queima. "Se você jogar um litro de gasolina lá no meio daquela mata e tacar fogo, vai pegar na gasolina ali, e não vai pegar fogo na mata", afirmou. 

O presidente e Gilson Machado falaram também sobre os impactos da pandemia no turismo. Nas palavras do ministro, "hoje, apesar de tudo, o turismo brasileiro está dando sinais de vida, sinais de recuperação". Gilson defendeu a importância da vacinação para o setor voltar à normalidade.

Argentina e voto impresso

Bolsonaro disse levar na brincadeira a fala do presidente da Argentina, Alberto Fernández, de que o os brasileiros vieram da selva, mas criticou o chefe do Executivo estrangeiro: "Eu acho que o Maduro [presidente da Venezuela] e o Fernández aqui, esses dois, com todo respeito ao povo argentino, não tem vacina para curar do socialismo, da questão bastante retrógrada na cabeça dessas duas pessoas".

Em outro instante, defendendo o voto impresso no Brasil, Bolsonaro chamou o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barroso, de "dono da verdade". "Se o Congresso aprovar o voto impresso, vamos ter o voto impresso e ponto final, não se discute mais esse assunto", acrescentou.

Passeio de moto e críticas a Doria

Também na live, Bolsonaro se referiu ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), como "hipócrita" por querer multá-lo se não usar máscara e disse que o chefe do Executivo paulista tomou medidas "ditatoriais" na pandemia. Em relação a um passeio de moto pela capital paulista que planeja para o próximo sábado (12.jun), o presidente disse serem esperadas mais de 100 mil pessoas.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
governo
jair bolsonaro
coronavírus
pandemia
covid-19
tratamento precoce
medicamentos
live
amazônia
turismo
ministro
argentina
voto impresso
passeio de moto
joão doria

Últimas notícias

Forças de Defesa de Israel interceptam míssil lançado do Iêmen

Forças de Defesa de Israel interceptam míssil lançado do Iêmen

Caças israelenses atacarem alvos houthis na área do porto de Hodeida, no Iêmen, no sábado (20)
Novo oficializa candidatura de Marina Helena à prefeitura de São Paulo

Novo oficializa candidatura de Marina Helena à prefeitura de São Paulo

Convenção do partido aconteceu no centro da capital paulista neste domingo
Melody recebe alta e faz show depois de acidente de trânsito no Rio

Melody recebe alta e faz show depois de acidente de trânsito no Rio

"Está todo mundo bem", disse a cantora nas redes sociais; acidente aconteceu no sábado (20)
Ministério da Agricultura descarta três casos suspeitos de doença de Newcastle no RS

Ministério da Agricultura descarta três casos suspeitos de doença de Newcastle no RS

Amostras foram analisadas no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária de São Paulo
Homem-aranha é agredido e joga passageiro no trilho do metrô de Belo Horizonte

Homem-aranha é agredido e joga passageiro no trilho do metrô de Belo Horizonte

Super-herói relatou à polícia que agressor achou que ele o havia ofendido: "se você é o Homem-Aranha, eu sou o Batman"
Ator Iran Lima, o seu Candinho da Escolinha do Professor Raimundo, morre no Rio

Ator Iran Lima, o seu Candinho da Escolinha do Professor Raimundo, morre no Rio

Corpo do ator será cremado na segunda-feira (22), no Cemitério Vertical Memorial do Carmo, no Caju
Imagens mostram acidente de Thommy Schiavo, ator de Pantanal, em sacada de Cuiabá

Imagens mostram acidente de Thommy Schiavo, ator de Pantanal, em sacada de Cuiabá

Circuito de segurança foi obtido com exclusividade pela equipe de reportagem do MT Play, portal de notícias SBT Cuiabá
Polícia Federal apreende 77 kg de droga em embarcação comercial de passageiros no AM

Polícia Federal apreende 77 kg de droga em embarcação comercial de passageiros no AM

Entorpecente estava com uma mulher, que foi presa em flagrante e está à disposição da Justiça
Policial é baleado de raspão na cabeça após reagir a assalto no Rio

Policial é baleado de raspão na cabeça após reagir a assalto no Rio

Uma guarda municipal, de 53 anos, ficou ferida, mas já recebeu alta do Hospital Municipal Souza Aguiar
Serviço Secreto dos EUA diz que negou pedidos de Trump para mais segurança

Serviço Secreto dos EUA diz que negou pedidos de Trump para mais segurança

Segundo porta-voz, os pedidos negados não eram especificamente para o comício em que o político sofreu uma tentativa de assassinato no dia 13 de julho
Publicidade
Publicidade