Publicidade

Brasil lançará fundos de investimentos para Cerrado e outros biomas na COP28

Objetivo é desenvolver a bioeconomia: "é a solução para o desmatamento", aposta braço direito de Marina Silva

Brasil lançará fundos de investimentos para Cerrado e outros biomas na COP28
Publicidade

O que se espera do Brasil na 28ª Conferência das Partes das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP28), realizada até 12 de dezembro em Dubai, nos Emirados Árabes? Números que comprovem a redução do desmatamento? Se depender apenas disso, a acolhida poder não ser tão boa.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

"Hoje, falar que o Brasil teve nos últimos 10 meses uma redução de 49% no desmatamento é uma conquista, é um número positivo. Mas, é muito aquém do que  necessitaríamos ter para, de fato, conseguir uma mitigação climática", pondera o Dr. Fabrício Stocker, um especialista no tema. Ele explica que a diminuição se deu em cima de um exorbitante aumento do ano passado. Ou seja, mesmo com a redução, o desmatamento continua excessivo no Brasil.

Parte da explicação para essa decepção é que, nos últimos quatro anos, o Brasil desinvestiu em fiscalização por meio do Ibama, por exemplo. "Espera-se que a comunidade internacional entenda isso", dispara Fabrício.

Ele chama atenção para essa situação. Pois, nos últimos quatro anos, o Brasil foi acusado de "pedalada climática". Termo criado para explicar, justamente, que a comparação escondia dados: "A gente tem ainda um trabalho muito grande com relação a isso. Mostrar exatamente de qual ponto que eu estou partindo e quanto eu quero alcançar. A gente espera dados mais robustos e transparentes. É uma possibilidade de ganho de reputação com o mercado".

Essa chance será aproveitada com o lançamento de mais projetos para investimentos. Assim como o Fundo Amazônia, serão apresentados planos para os outros biomas. O do Cerrado poderá receber recursos já no início de 2024.

"Pra mim, a solução para o desmatamento está na bioeconomia", aposta Carlos Netto, que foi chefe de gabinete do Ministério do Meio Ambiente e Mudança Climática até o mês passado e coordenou boa parte do que o Brasil apresentará à COP28. "Esses fundos são para desenvolver a bioeconomia. Uma árvore mogno derrubada vale R$ 20 mil. Ou seja, que alternativa você traz para aquelas pessoas que vivem alí? A bioeconomia é a solução".

Ainda sobre, Netto conta que "o Sebrae vai levar 250 startups com soluções para desenvolver a bioeconomia. Mais de 70% delas já em atuação. E já estão na Câmara de Comércio Brasil-Noruega sendo muito bem avaliadas".

Ele continua: "Agora tem que ganhar escala. Assim como os projetos de reflorestamento. A gente fala muito do desmatamento e tem que falar. Mas, existe uma oportunidade enorme de PPPs, parcerias público-privadas, para reflorestamento. E aí, a gente precisa regular o mercado de crédito de carbono no Brasil. A comissão de Meio Ambiente do Senado deu um primeiro passo e eu entendo que até a COP28 isso deveria ser deliberado. Porque, com a regulação, se cria uma oportunidade grande de projetos de reflorestamento. Porque o município tem alçada para reflorestar. O município não tem muitos instrumentos em relação ao desmatamento. Isso é mais dos governos estadual e federal. Mas, para reflorestar nós temos essa possibilidade. Isso é recurso para os municípios e para as empresas", esclarece Netto.

Os projetos com propósitos objetivos são vistos com bons olhos por Fabrício. Para explicar, ele usa como exemplo o que não deu certo até então. Como os pedidos de ajuda milionária dos países em desenvolvimento aos mais desenvolvidos. Promessas que nunca foram cumpridas. Com um plano que inclua onde, como e quando as ações serão empregadas, além dos resultados, fica mais fácil convencer. "Uma grande discussão esperada para essa COP é como torná-la mais inclusiva. A gente tem a necessidade de limitar o aquecimento global em 1,5°C em relação ao período pré-industrial. Essa é a met. Agora, tem que desenvolver o roadmap, como fazer isso? Os países ricos podem conseguir. Outra coisa é saber como os países vulneráveis vão fazer isso. Então, a grande discussão desse ano é um fundo de perdas e danos. Quem mais tem sofrido são os países em desenvolvimento e a justiça climática exige que se crie um fundo para saber, de fato, para onde destinar recursos".

Para saber mais, assista ao Foco ESG:

Veja também:

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
podcast
videocast
foco-esg
esg
sustentabilidade
meio ambiente
sociedade
governança
onu
cop28
clima
aquecimento global

Últimas notícias

Estudantes e professores protestam contra cortes na educação na Argentina

Estudantes e professores protestam contra cortes na educação na Argentina

Mobilização recebeu apoio de setores da oposição em todo o país
Após morte de Joca, Gol suspende transporte de cães e gatos por 30 dias

Após morte de Joca, Gol suspende transporte de cães e gatos por 30 dias

Segundo a empresa, a suspensão é "para se dedicar totalmente a concluir o processo de investigação" do caso
Perfis de bolsonaristas no X bloqueados pelo STF usaram canal de bate-papo para fazer lives "clandestinas"

Perfis de bolsonaristas no X bloqueados pelo STF usaram canal de bate-papo para fazer lives "clandestinas"

PF identificou que acusados de integrar milícia digital fizeram, dos EUA, transmissões ao vivo, por canais inativados judicialmente
Polícia desarticula quadrilhas especializadas em roubos a condomínios

Polícia desarticula quadrilhas especializadas em roubos a condomínios

Investigações pegaram criminosos que atuavam em 5 estados, se passavam por moradores e ostentavam nas redes sociais
Polícia prende integrantes de quadrilha envolvida na morte de empresário, em SP

Polícia prende integrantes de quadrilha envolvida na morte de empresário, em SP

Caso aconteceu em setembro do ano passado; criminosos usavam aplicativos de namoro para atrair as vítimas
Empresária condenada por matar o marido com um tiro na nuca se entrega à polícia em SP

Empresária condenada por matar o marido com um tiro na nuca se entrega à polícia em SP

Crime aconteceu em janeiro de 2013, na Zona Leste de São Paulo; Andressa Ramos de Araújo foi condenada a 13 anos e seis meses de prisão
Câmara aprova continuidade de benefício para o setor de eventos com impacto de R$ 15 bilhões

Câmara aprova continuidade de benefício para o setor de eventos com impacto de R$ 15 bilhões

Andamento do programa emergencial contrariou pedido do governo e valerá para 30 atividades econômicas. Texto segue para o Senado
Datena, educação e polarização na Segurança Pública: confira íntegra da entrevista de Tabata Amaral

Datena, educação e polarização na Segurança Pública: confira íntegra da entrevista de Tabata Amaral

Pré-candidata à Prefeitura de São Paulo pelo PSB falou sobre propostas para a maior cidade do Brasil ao SBT News
Candidatos reclamam de falhas técnicas e problemas na lista de espera do Fies

Candidatos reclamam de falhas técnicas e problemas na lista de espera do Fies

Mesmo com os problemas relatados, Ministério da Educação afirma que não deve fazer alterações no cronograma
Alckmin responde cobrança de Lula com meme de desenho animado: “Pé na tábua”

Alckmin responde cobrança de Lula com meme de desenho animado: “Pé na tábua”

Presidente havia cobrado vice-presidente e ministros agilidade e para melhorarem articulações com o Congresso Nacional
Publicidade
Publicidade