Publicidade

Conta de luz: país terá nova bandeira, 50% mais cara que a vermelha

Bandeira chamada de "escassez hídrica" vai vigorar de setembro deste ano a abril de 2022

Conta de luz: país terá nova bandeira, 50% mais cara que a vermelha
Publicidade

O governo anunciou, nesta 3ª feira (31.ago), a criação de uma nova bandeira tarifária para a energia elétrica. Chamada de "bandeira escassez hídrica", ela terá custo de R$ 14,20 a cada 100 kilowatt/hora consumido, valor 49,6% maior que a bandeira vermelha patamar 2 -- a mais alta até o momento --, cujo custo é de R$ 9,49. A nova bandeira começa a vigorar nesta 4ª feira (1º.set) e segue até abril de 2022.

De acordo com o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone, a nova bandeira foi criada para custear uma geração adicional, provocada pela crise hídrica, que seria a pior dos últimos 91 anos. O país tem precisado importar energia de Argentina e Uruguai, além de contar com uma geração térmica adicional -- mais cara que a oriunda de hidrelétricas.

Ainda segundo a Aneel, o aumento final na conta de luz será de 6,78%. Estarão isentos da nova bandeira apenas os moradores de Roraima e os consumidores inscritos no programa de tarifa social.

Redução voluntária

Outra iniciativa anunciada para tentar conter o consumo de energia elétrica foi um programa de redução voluntária, que prevê uma bonificação aos consumidores que reduzirem o uso. O desconto será de R$ 50 a cada 100kWh reduzidos. Para conseguir o benefício, é necessário reduzir ao menos 10% da conta de luz. A bonificação é limitada a 20% de redução.

O programa vai durar de setembro a dezembro deste ano. O custo aos cofres públicos, segundo o secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Christiano Vieira, será de R$ 340 milhões por mês. A expectativa é de que sejam poupados 914 megawatts de energia, suficiente para abastecer, em média, 4 milhões de domicílios.

+ Aneel recomenda "evitar banho demorado" para economizar energia

Apagão

As medidas foram anunciadas em entrevista coletiva no Ministério de Minas e Energia. Também presente ao evento, o ministro Bento Albuquerque minimizou o risco de apagão no país. "Todos os cenários que nós possuímos e modelos computacionais que utilizamos indicam que temos a oferta suficiente para a demanda do sistema", disse.

Ainda segundo Albuquerque, "as medidas adotadas estão surtindo o efeito que se espera", mas "ainda não nos levam a uma situação de normalidade ou conforto". "Por isso estamos adotando todas essas demandas."

Veja reportagem do SBT Brasil:

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
economia
energia
energia elétrica
conta de luz
redução do consumo
bento albuquerque
minas e energia
ministério de minas e energia
crise hídrica
aneel
escassez hídrica
bandeira vermelha
bandeira escassez hídrica

Últimas notícias

SBT News na TV: empresários acusados de financiarem atos golpistas são presos

SBT News na TV: empresários acusados de financiarem atos golpistas são presos

Trio de detidos teria financiado acampamento golpista montado em frente ao quartel-general do Exército, em Brasília
Mega-Sena acumula e chega a R$ 185 milhões; veja os números sorteados

Mega-Sena acumula e chega a R$ 185 milhões; veja os números sorteados

Quina teve 152 ganhadores, que vão receber mais de R$ 45 mil cada
Antonio Ais e a esposa são presos na Argentina

Antonio Ais e a esposa são presos na Argentina

Procurados pela Interpol, o casal foi condenado por crimes contra o sistema financeiro; golpes em criptomoedas foram milionários
Gênero musical choro torna-se Patrimônio Cultural do Brasil

Gênero musical choro torna-se Patrimônio Cultural do Brasil

Melodia é conjunto dos sons do bandolim, flauta, violão 7 cordas, pandeiro, cavaquinho e clarinete, tocados em rodas
Rio registra primeiro caso de febre oropouche, transmitida por mosquito

Rio registra primeiro caso de febre oropouche, transmitida por mosquito

Homem infectado mora na zona sul do Rio e esteve no Amazonas, onde a doença está em alta
Grupo político de Bolsonaro tentou golpe, mas as penas devem ser ponderadas; avalia Alessandro Vieira

Grupo político de Bolsonaro tentou golpe, mas as penas devem ser ponderadas; avalia Alessandro Vieira

Senador do MDB defendeu penas diferenciadas para apoiadores e financiadores em entrevista ao SBT News; confira
Lewandowski anuncia intensificação do combate a ações ilegais em Roraima

Lewandowski anuncia intensificação do combate a ações ilegais em Roraima

Tráfico de drogas, contrabando e imigração ilegal estão entre as prioridades do ministro da Justiça e Segurança Pública na região
Polícia prende quadrilha especializada em golpe do empréstimo consignado no Rio

Polícia prende quadrilha especializada em golpe do empréstimo consignado no Rio

Foram encontrados registros de ocorrência contra o grupo em delegacias do Rio, Pernambuco, Acre, Ceará, Minas Gerais, Paraná, Piauí, Rio Grande do Norte, Goiás, Amapá, Goiás e Tocantins
Guerras em curso fazem com que G20 não chegue a consenso, diz Haddad

Guerras em curso fazem com que G20 não chegue a consenso, diz Haddad

'Houve recuo em relação à redação do ano passado', disse ministro da Fazenda brasileiro no encerramento das reuniões do G20 em São Paulo
Leilão define empresa que será responsável por trem de São Paulo a Campinas

Leilão define empresa que será responsável por trem de São Paulo a Campinas

Consórcio entre empresas da China e do Brasil deve investir mais de R$ 14 bilhões em trem de velocidade
Publicidade
Publicidade