Publicidade

CPMI do 8/1 pede indiciamento de Bolsonaro, ex-ministros e militares

Relatora, senadora Eliziane Gama, apresenta conclusões contra "golpistas"; ex-presidente, homens de confiança e militares serão indiciados

CPMI do 8/1 pede indiciamento de Bolsonaro, ex-ministros e militares
CPMI do 8/1 pede indiciamento de Bolsonaro, ex-ministros e militares (Reprodução/YouTube)
Publicidade

A senadora Eliziane Gama (PSD-MA), relatora da CPMI do 8 de Janeiro, começou na manhã desta 3ª feira (17.out) a leitura do relatório final, que aponta tentativa de "golpe de Estado" e decretação de "estado de sítio" no Brasil. Foi pedido indiciamento do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), de ex-ministros e militares.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

"Mostramos todos os que conspiraram", afirmou a senadora. O documento final usa a "teoria de domínio do fato" para imputar responsabilidade não só aos executores e financiadores dos atos golpistas, mas também que não deixou digitais.

O documento pede o indiciamento do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em primeiro lugar. Pede ainda o indiciamento de aliados, como ex-ajudante de ordens tenente-coronel Mauro Cesar Barbosa Cid, dos ex-ministros general Walter Braga Netto e general Augusto Heleno, entre outros militares.

Relatório CPMI
Página do relatório pedindo indiciamento de Bolsonaro | Reprodução

A senadora também destacou que a ideia do grupo liderado por Bolsonaro era atacar as instituições antes da posse do presidente Lula, o que não aconteceu, porque várias medidas foram adotadas, como a antecipação da diplomação da chapa Lula-Alckmin. O relatório final da CPMI faz uma linha do tempo do que ocorreu nos últimos quatro anos. "O 8 de janeiro não foi um raio repentino", disse a relatora.

"O então presidente tem responsabilidade direta, como mentor moral, por grande parte dos ataques perpetrados a todas as figuras republicanas que impusessem qualquer tipo de empecilho à sua empreitada golpista. Agentes públicos, jornalistas, empresários, militares, membros dos Poderes: todos sofreram ataques incessantes por parte de Jair Bolsonaro e de seus apoiadores, muitos deles ocupantes de cargos públicos, que se utilizavam da máquina estatal para coagir e agredir pessoas", seguiu a senadora.

"Os fatos aqui relatados demonstram, exaustivamente, que Jair Messias Bolsonaro, então ocupante do cargo de presidente da República, foi autor, seja intelectual, seja moral, dos ataques perpetrados contra as instituições, que culminaram no dia 8 de janeiro de 2023", completou Gama.

Relatório CPMI
Novo trecho do relatório pedindo indiciamento de Bolsonaro | Reprodução

"Por esse motivo, Jair Messias Bolsonaro deve ser responsabilizado pelos tipos penais descritos nos arts. 288, caput (associação criminosa), 359-P (violência política), 359-L (abolição violenta do Estado Democrático de Direito) e 359-M (golpe de Estado), todos do Código Penal, por condutas dolosas", continuou.

A leitura do relatório final começou por volta das 9h40. Com 1,3 mil páginas, a senadora lê um resumo do documento, com apresentação dos trabalhos e depois as conclusões, com os pedidos de indiciamento e outros encaminhamentos. A votação do documento será na 4ª feira (18.out).

O documento final da CPMI, após aprovado, será encaminhado para a Procuradoria Geral da República (PGR), junto com as provas reunidas, explicou o presidente da comissão, o deputado Arthur Maia (União-BA).

"A CPMI mostrou ao Brasil o que aconteceu. E mais do que isso, ressaltou a todos os brasileiros a necessidade que temos de proteger a democracia", disse Maia. 
O líder do governo no Congresso, o senador Randolfe Rodrigues (sem partido-AP), avaliou que o texto da relatora deve ser aprovado "por 20 a 21 votos". "Com ampla maioria".

Leia também:

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

sbtnews
portalnews
noticias
bolsonaro
cpmi do 8/1
8 de janeiro
atos golpistas
congresso
política

Últimas notícias

Cantor sertanejo Sérgio Reis recebe alta após passar por cateterismo

Cantor sertanejo Sérgio Reis recebe alta após passar por cateterismo

Artista passou pelo procedimento para a abertura de dois stents no coração
Sabatinas de Haddad e Pacheco marcam 2º dia do Congresso da Abraji em São Paulo

Sabatinas de Haddad e Pacheco marcam 2º dia do Congresso da Abraji em São Paulo

SBT News participa do 19º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo, que vai até o próximo domingo (14); confira!
Bibliotecas do Rio Grande do Sul recebem doação de mais de 20 mil livros dos Correios

Bibliotecas do Rio Grande do Sul recebem doação de mais de 20 mil livros dos Correios

Primeiro lote da doação vai beneficiar 44 bibliotecas de escolas públicas afetadas pelas cheias
Polícia prende homem que matou motorista de ônibus após se recusar a parar fora de ponto em SP

Polícia prende homem que matou motorista de ônibus após se recusar a parar fora de ponto em SP

Luiz Gonzaga Estevam Barbosa, de 59 anos, matou o motorista de ônibus Gabriel Moraes no último domingo
Vídeo: jato polonês explode após cair durante exercício militar

Vídeo: jato polonês explode após cair durante exercício militar

Piloto conseguiu se ejetar pouco antes da explosão, mas não resistiu aos ferimentos
Olimpíadas de Paris: chuva pode comprometer qualidade da água do rio Sena

Olimpíadas de Paris: chuva pode comprometer qualidade da água do rio Sena

Qualidade da água do rio esteve dentro dos parâmetros adequados para natação nos últimos 12 dias, mas preocupa
Camila Campos e o câncer de mama na gravidez: veja quais tratamentos podem ser feitos

Camila Campos e o câncer de mama na gravidez: veja quais tratamentos podem ser feitos

Artista está grávida de sete meses da segunda filha e revelou a doença em estágio avançado por meio de uma publicação conjunta com o marido
Alec Baldwin: juíza rejeita acusação contra ator que matou diretora de fotografia em set

Alec Baldwin: juíza rejeita acusação contra ator que matou diretora de fotografia em set

Mary Marlowe Sommer considerou que houve retenção de provas no processo; artista poderia ser condenado a 18 meses de prisão
Técnica de enfermagem é condenada por tentar matar 11 recém-nascidos no RS

Técnica de enfermagem é condenada por tentar matar 11 recém-nascidos no RS

Casos ocorreram em novembro de 2009; júri popular a condenou a 51 anos e 8 meses de prisão
Banco Central decide acabar com cédulas de primeira família do Real

Banco Central decide acabar com cédulas de primeira família do Real

Objetivo é trocar as notas produzidas entre 1994 e 2010, que continuam válidas
Publicidade
Publicidade