Publicidade

CNI defende aprovação de projetos de lei sobre parcelamento de débitos

Para a entidade, medidas "permitirão que milhares de empresas regularizem a situação fiscal"

CNI defende aprovação de projetos de lei sobre parcelamento de débitos
Câmara dos Deputados vista do lado de fora no final da tarde (Agência Brasil)
Publicidade

Em comunicado emitido neste sábado (7.ago), a Confederação Nacional da Indústria (CNI) se posicionou favoravelmente ao Projeto de Lei (PL) 4.728/2020 e ao Projeto de Lei Complementar (PLP) 46/2021, que foram aprovados pelo Senado na 5ª feira (5.ago) e dizem respeito ao parcelamento de débitos dos contribuintes com a União. Ambos os textos ainda serão analisados pela Câmara dos Deputados.

De forma mais específica, o PL reabre prazo para adesão ao Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), que agora vai até 30 de setembro de 2021; e o PLP apresenta tabelas com condições e critérios para a renegociação de dívidas. Para a CNI, se as medidas passarem pelo Congresso e forem sancionadas, "permitirão que milhares de empresas regularizem a situação fiscal, evitarão novas demissões e fortalecerão a retomada da economia brasileira".

Segundo o presidente da instituição, Robson de Andrade, "a inadimplência não ocorre, na esmagadora maioria dos casos, por uma decisão das empresas. A dívida existe por absoluta incapacidade de honrar todos os compromissos financeiros, com o Fisco, os funcionários e os fornecedores", completou. Ainda de acordo com ele, "num contexto de pandemia como o que vivemos, mais que nunca, a dificuldade em pagar todas as contas enfrentada pelo setor produtível é absolutamente compreensível".

No comunicado emitido neste sábado, a CNI cita alguns dados que apontam para uma maior dificuldade de as empresas conseguirem quitar dívidas devido à recessão econômica iniciada em 2014 e o impacto da pandemia.

Entre eles, estão os quase 15 milhões de desempregados no país, pedidos de falência e recuperação judicial feitos por 20 mil empresas entre 2014 e 2020, e as quedas de 1,5% e 9,7% registradas pelo Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro e no segundo trimestre do ano passado, respectivamente, em comparação com os períodos anteriores.

A nota acrescenta que os projetos de lei "procuram atrelar os novos parcelamentos de débitos aos efeitos da crise econômica e restringem as melhores condições de quitação dos débitos às empresas que tiveram queda de faturamento no ano de 2020, na comparação com 2019".

Veja também: 

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
congresso
economia
projetos de lei
senado
câmara dos deputados
cni
pandemia
dívidas
união
empresas

Últimas notícias

Ciro Nogueira critica Lula pelo que classifica como “alienação”

Ciro Nogueira critica Lula pelo que classifica como “alienação”

Para senador e ex-ministro da Casa Civil de Bolsonaro, o presidente, por não ser uma pessoa conectada, é "completamente blindada de tudo"
"Dessa vez vou até o fim”, diz Datena sobre pré-candidatura à Prefeitura de SP

"Dessa vez vou até o fim”, diz Datena sobre pré-candidatura à Prefeitura de SP

Apresentador, lançado como pré-candidato a prefeito da capital paulista pelo PSDB nesta quinta-feira (13), já desistiu de quatro campanhas
Lula critica riqueza de bilionários e programas espaciais privados: 'não precisamos ir para Marte'

Lula critica riqueza de bilionários e programas espaciais privados: 'não precisamos ir para Marte'

Na Suíça, presidente diz ainda que "mão invisível" do mercado agrava desigualdades sociais no mundo
Faixa de Gaza: mais de oito mil crianças estão em situação de desnutrição aguda

Faixa de Gaza: mais de oito mil crianças estão em situação de desnutrição aguda

Das 32 mortes pela doença no território, 28 eram crianças menores de cinco anos
Senadores sugerem medidas para compensar desoneração da folha e Jaques Wagner vai levar à Fazenda

Senadores sugerem medidas para compensar desoneração da folha e Jaques Wagner vai levar à Fazenda

Congresso e governo tentam encontrar solução para compensar medida, após devolução de parte da "MP do Fim do Mundo"
"Estou anestesiada. Nos vimos ontem", lamenta ex-esposa do cantor Nahim

"Estou anestesiada. Nos vimos ontem", lamenta ex-esposa do cantor Nahim

Sucesso nos anos 80, artista foi encontrado morto em sua casa na manhã desta quinta-feira (13)
Ciro Nogueira atribui derrota de Bolsonaro nas eleições de 2022 também a aliados

Ciro Nogueira atribui derrota de Bolsonaro nas eleições de 2022 também a aliados

Sem citar Roberto Jefferson e Carla Zambelli, ex-ministro da Casa Civil diz que casos midiáticos a uma semana do pleito prejudicaram ex-presidente
Albinismo nem sempre afeta a cor da pele; entenda o que é condição rara

Albinismo nem sempre afeta a cor da pele; entenda o que é condição rara

Exposição ao sol pode causar queimaduras no corpo e, em alguns casos, apenas a região dos olhos é atingida
Suspeito de matar jovem e ocultar cadáver em casa é preso no Rio

Suspeito de matar jovem e ocultar cadáver em casa é preso no Rio

"Amigo" da vítima estava foragido; Já Caio da Silva Rendão, de 21 anos, estava desaparecido desde o dia 9 de fevereiro
Nahim gravou "Qual é a Música", do "Programa Silvio Santos, com Patrícia Abravanel"; exibição será em breve

Nahim gravou "Qual é a Música", do "Programa Silvio Santos, com Patrícia Abravanel"; exibição será em breve

Cantor esteve nos estúdios do SBT em São Paulo no começo deste mês, onde gravou o famoso quadro musical
Publicidade
Publicidade